Minha foto
Brazil
Divulgador das palavras do Ministério através dos escritos dos irmãos W. Nee e W. Lee aos buscadores pela verdade da Bíblia

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

NOSSO ESPÍRITO HUMANO


Nosso
Espírito
Humano


CONTEÚDO
1.    Nosso espírito humano (1)
2.    Nosso espírito humano (2)
3.    Nosso espírito humano no Velho Testamento
4.    Nosso espírito humano, nascido do Espírito divino
5.    Nosso espírito humano no Novo Testamento (1)
6.    Nosso espírito humano no Novo Testamento (2)
7.    A diferença entre o espírito e a alma
8.    O espírito com as faculdades da alma
9.    Conhecendo o espírito humano
10.  Exercitando o espírito



Witness Lee



PREFÁCIO
Este livro consiste de mensagens dadas no verão dos anos 1963, 1965 e 1969 em Los Angeles, Califórnia. Essas mensagens contêm uma clara apresentação da verdade básica concernente nosso espírito humano. Esta verdade não foi compreendida pela maioria dos cristãos, e quase todos os que a tem visto até certo ponto, tem-na desprezado. Poucos percebem da importância estratégica de nosso espírito humano.
A Bíblia revela que o homem é um ser tripartido que possui um espírito e uma alma e um corpo (1Ts 5:23). Faz uma distinção clara entre estas três partes (Lc 1:46-47; Hb 4:12; Fl 1:27). Tendo um corpo, o homem possui consciência do mundo e pode ter contato com o mundo material. Tendo uma alma, o homem possui consciência de si mesmo, que concede sua personalidade, seu eu (Mt 16:26; comp. Lc 9:25), e é capaz de raciocinar, escolher e responder emocionalmente. Tendo um espírito, o homem possui consciência de Deus, e pode ter contato com o Deus Triúno, assim como recebê-lo e adorá-lo (Jo 4:24; Rm 8:16; 2Tm 4:22). Deus é Espírito (Jo 4:24), e quando formou o homem (Gn 2:7), o criou com um espírito (Zc 12:1). Se o homem não tivesse um espírito, não poderia ter contato com Deus.
É em nosso espírito onde nascemos de novo (Jo 3:6); é em nosso espírito onde fomos vivificados (Ef 2:5; Rm 8:10); é em nosso espírito onde mora Deus (Ef 2:22; 2Tm 4:22; Rm 8:16); é em nosso espírito onde somos unidos ao Senhor (1Co 6:17); e é em nosso espírito onde entramos em contato com Deus e o adoramos (Jo 4:24). Agora devemos andar e ter todo nosso ser conforme nosso espírito: servindo em nosso espírito (Rm 1:9), orando em espírito (Ef 6:18), sendo enchidos no espírito (Ef 5:18), vendo a revelação de Deus em espírito (Ef 1:17; 3:5; Ap 1:10; 4:2; 17:3; 21:10), tendo comunhão com os irmãos e irmãs em espírito (Fl 2:1), e sendo edificados juntamente com outros para ser uma habitação de Deus em espírito (Ef 2:22).
O Novo Testamento também revela três diferentes tipos de vida: bios, psiquê, e zoé. Bios, a vida física, está no corpo; psiquê, a vida humana, está na alma; e zoé, a vida divina, está no espírito. Antes que fôssemos regenerados, tínhamos só a vida física e a vida humana, a vida da alma. No momento de nossa regeneração, recebemos a terceira vida, a vida divina, que é Deus como vida. Contudo, a maioria dos cristãos, ainda que sejam regenerados em seu espírito, prosseguem vivendo e comportando-se conforme suas próprias considerações e arrazoamentos, gostos e aversões, ou conforme se algo é certo ou errado, bom ou mau. Estes são da alma (1Co 2:14), homens da alma que tomam sua vida humana como a fonte de seu viver. Outros andam conforme seu espírito. Estes são espirituais (1Co 2:15), homens do espírito que tomam a Deus como a fonte de seu viver. Todos devemos aprender a andar, não conforme a vida que está em nossa alma, mas conforme a vida que está em nosso espírito (Mc 8:35-36; Jo 12:25; Rm 8:4-6).
Malaquias 2:15-16 (lit.) nos diz que necessitamos prestar atenção a nosso espírito. Em nossa vida diária cristã, devemos exercitar nosso espírito continuamente. É aqui onde adoramos a Deus, temos comunhão com outros e nos enchemos do Espírito. É aqui onde desfrutamos o frescor, a doçura, o avivamento e o suprimento de Cristo. Também, na igreja devemos exercitar continuamente nosso espírito. A adequada vida da igreja é uma questão absolutamente no espírito. Quando nos voltamos a nosso espírito, somos um.
Nós oramos para que os pontos que se apresentam neste livro se tornem uma visão a todos os que os leem, e para que muitos comecem a viver conforme esta visão. É muito necessário hoje que todos os filhos do Senhor se tornem os que andam e vivam conforme seu espírito. Oramos também para que o Senhor conceda tal realidade em todas as igrejas locais.

Abril, 1984
Benson Phillips
Irving, Texas

1

NOSSO ESPÍRITO HUMANO (1)

Leitura bíblica: Gn 2:7; Zc 12:1; Jó 12:10; Nm 16:22; 27:16; Ap 22:6; Pv 20:27;

Rm 1:9; Lc 1:46-47; At 17:16; 1Co 5:3-4; 16:18; 2Co 2:13; 7:13; 12:18; 7:1;

1Ts 5:23; Hb 4:12; Fl 1:27; 2Tm 4:22; 1Co 6:17; Rm 8:4

Neste livro falaremos de algo muito importante: nosso espírito humano. Primeiro, necessitamos ver que a vida espiritual, a vida divina, a vida eterna, a vida incriada, é simplesmente o próprio Deus em Cristo como o espírito vivificante (1Co 15:45). A vida divina é o Espírito divino, o espírito vivificante, que entrou em nós como nossa própria vida. Se não tivesse entrado em nós, Ele não poderia ser nossa vida. Nenhuma coisa fora de você pode ser sua vida. Para que algo seja sua vida, essa mesma coisa deve poder entrar em você.

Esta vida espiritual, que é o próprio Deus, entrou em nós; mas, em qual parte de nós? Por exemplo, você ingere comida, mas não a come pelos olhos. Não a come pelos ouvidos. Você come comida pela boca e através da boca a comida entra para o estômago. O estômago é o lugar apropriado para guardar e conter comida. De igual maneira, Deus como vida entrou em nós, em nosso espírito. Nosso espírito humano, tão estratégico para a vida divina, porém desconhecido pela maioria dos cristãos.

A VIDA INTERIOR EM NOSSO ESPÍRITO

Quando eu era um novo crente, escutei muitos mestres cristãos. Nunca ouvi deles nenhuma palavra que dissesse que temos um espírito humano. Este assunto é mencionado de maneira predominante nas Escrituras, contudo, a maioria dos cristãos não se dá conta e por isso não o captam.

O Senhor deseja restaurar a vida interior junto com a vida da igreja. A vida interior é básica para a vida da igreja. Se não somos adequados e prevalecentes na vida interior, é difícil que tenhamos uma adequada vida da igreja, porque a vida da igreja é uma composição da vida interior em todos nós. Temos que conhecer a vida interior, contudo a vida interior é absolutamente uma questão em nosso espírito.

Quando vamos à escola, estudamos usando o órgão apropriado, nossa mente. Mas quando vamos para as reuniões da igreja ter contato com Deus, a adorar a Deus, usamos outro órgão, ou seja, nosso espírito. Este não é o Espírito Santo. Sempre que é mencionada a palavra “espírito” a maioria dos cristãos, imediatamente pensam no Espírito Santo. Raramente consideram que temos um espírito humano. Porém, nós temos um espírito humano! Além do Espírito Santo de Deus, existe nosso espírito humano.

Chegamos à igreja para servir a Deus, para ter contato com Deus, para tratar com Deus usando nosso espírito. Quando você vai para a quadra para fazer algum exercício físico, tem que usar seu corpo físico. Quando vai para a escola para estudar, tem que usar sua mente. Mas quando vai ter contato com Deus, tem que usar seu espírito humano.

O SOPRO DE VIDA

Gênesis 2:7 nos mostra claramente como criou Deus o homem. Deus criou o homem com dois tipos de materiais. Um foi o pó da terra. O outro foi o sopro de vida Dele mesmo. Deus usou o pó da terra como material para formar um corpo humano. Então Deus soprou nas narinas do homem o sopro de vida e o homem foi feito uma alma vivente. Dois tipos de materiais, o pó para formar um corpo e o sopro de vida que entrou neste corpo, resultaram em uma alma vivente, um homem vivente. O que se formou com o pó foi o corpo, e o homem como uma alma vivente é alma. Logo o sopro de vida, depois de entrar no corpo, é o espírito humano.

Quero impressioná-los o máximo possível com esta frase “sopro de vida”. Provérbios 20:27 diz que o espírito do homem é a lâmpada do Senhor. No Velho Testamento, a palavra hebraica usada a maior parte do tempo é ruach. Esta palavra em hebraico significa espírito, sopro, ar ou vento. Mas a palavra para espírito aqui em Provérbios 20:27 não é a palavra hebraica ruach, mas neshamah; a mesma palavra usada em Gênesis 2:7 para “sopro”. No Velho Testamento encontramos pelo menos um versículo que prova que o sopro de vida mencionado em Gênesis 2:7 é o mesmo espírito do homem. A tradução de Moffat, em Provérbios 20:27, traduz a palavra espírito como consciência. Diz que a consciência do homem é a lâmpada do Senhor porque a consciência é a parte principal do espírito humano (comp. Rm 9:1; 8:16).

OS CÉUS, A TERRA E O ESPÍRITO DO HOMEM

Zacarias 12:1 nos diz que na criação de Deus temos três coisas principais. Primeiro Deus estendeu os céus. Em segundo lugar, Deus fundou a terra. Em terceiro lugar, Deus formou o espírito do homem. Na criação de Deus existem estas três coisas principais. Nos céus há muitas coisas, na terra há muitos detalhes e no homem há muitas partes, mas Zacarias 12:1 somente menciona os céus, a terra e o espírito do homem.

O PONTO ESTRATÉGICO

Quanto ao homem, a parte mais importante é o espírito, porque o espírito do homem é o centro de seu ser, e este centro é o mesmo lugar onde Deus entra no homem (Jo 3:6; 2Tm 4:22; Rm 8:16; 1Co 6:17). Este é o ponto estratégico. Se não captamos este ponto, erramos o alvo. Apesar de a eletricidade ter sido instalada em um prédio, o crucial é o interruptor. O receptor de um rádio é o lugar estratégico onde entram as ondas eletromagnéticas. De igual maneira, o mesmo lugar central onde Deus entra no homem é o espírito do homem.

O ESPÍRITO DE TODO O GÊNERO HUMANO

Jó 12:10 menciona todos os seres viventes e o espírito do homem. A versão King James diz “o sopro de todo o gênero humano” porque a palavra ruach pode significar sopro como também espírito. A tradução de Darby o traduz como “o espírito de toda carne do homem”. A versão American Standard o traduz como “o sopro de todo o gênero humano” no texto, mas na nota diz: nosso espírito, o espírito do homem.

Todos os outros seres viventes simplesmente têm alma; não têm espírito. Só nós os seres humanos temos espírito. Um cachorro tem alma, mas não tem espírito. Um macaco é bastante inteligente porque tem alma, mas tampouco tem espírito. Você alguma vez viu alguns macacos construir um relicário com um ídolo e adorar? Em toda a história humana nunca ouvimos semelhante coisa. Nenhum animal jamais adorou alguma coisa, mas todos os seres humanos, sejam cultos ou bárbaros, adoram algo porque têm um espírito de adoração. Há um espírito dentro do homem que o faz especial. Um cachorro não tem isso. Um gato não tem isso. Só nós os seres humanos temos tal espírito.

Jó 12:10 diz que na mão de Deus está todo ser vivente e o espírito de todo o gênero humano. Todos os seres viventes têm alma, mas nós, os seres humanos, não só temos uma alma, mas também um espírito. Somos absolutamente diferentes. Neste assunto, estamos totalmente em desacordo com Darwin. Somos diferentes dos macacos. Os macacos só têm uma alma, mas nós temos um espírito.

O DEUS DOS ESPÍRITOS

Em Números 16:22 e 27:16 Deus é o Deus dos espíritos de toda carne. Toda carne representa o gênero humano caído. Todos nos tornamos e ainda somos a carne, mas louvado seja o Senhor, dentro da carne temos um espírito. O Senhor Deus não é o Deus da carne; Ele é o Deus dos espíritos. Assim que se desejamos conhecer Deus, ter contato com Deus e tratar com Deus, e se desejamos tomar Deus como nossa vida, temos que conhecer nosso espírito, porque Deus é o Deus de nosso espírito.

OS ESPÍRITOS DOS PROFETAS

Apocalipse 22:6 nos diz que o Senhor é o Deus dos espíritos dos profetas. Além disso, 1 Coríntios 14:32 diz: “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos profetas”. Os espíritos dos profetas não se referem ao Espírito Santo, mas ao espírito humano dos profetas. Quando eu era um novo crente, me ensinaram que com o profeta de Deus sempre é necessário o Espírito Santo. Nunca me disseram que com os profetas de Deus encontramos também o espírito humano.

Do lado de Deus está o Espírito divino, o Espírito de Deus. Do nosso lado está o espírito humano. Quando estes dois espíritos se encontram um com o outro há um “trato” divino. Temos tal trato divino quando encontramos Deus como o Espírito divino e nosso espírito humano. Em tratar com Deus, o espírito humano e o Espírito divino são igualmente importantes. Sem o Espírito divino, não há maneira de que tenhamos contato com Deus. No mesmo princípio, sem o espírito humano, não existe o meio, não há órgão com o qual ter contato com Deus.

Todos devemos saber que temos tal espírito. Se desejamos ser um bom médico, devemos dedicar um longo tempo para estudar o corpo humano. Para sermos cristãos adequados, devemos estudar o espírito.

MEU ESPÍRITO


Em Romanos, Paulo diz que a Deus a quem “sirvo em meu espírito” (Rm 1:9). O mesmo Deus a quem sirvo, o sirvo em meu espírito. Não pensem que “meu espírito” é simplesmente um termo neotestamentário. Salmos 77:3 diz: “Lembro-me de Deus e passo a gemer; medito, e me desfalece o espírito.” Também, Salmos 77:6 diz: “De noite indago o meu íntimo, e o meu espírito perscruta”.
“Meu espírito” não é só um termo neotestamentário, mas também do Velho Testamento. Irmãos e irmãs, alguma vez você exercitou o seu espírito? Tem usado alguma vez seu espírito? Têm este tipo de experiência?

COMOVIDO EM ESPÍRITO

Em Atos 17:16 Paulo foi comovido quando viu tantos ídolos na cidade de Atenas. Quando ele viu os ídolos foi comovido em seu espírito. Ele servia a Deus em seu espírito e foi comovido em seu espírito pelas coisas malignas.

REUNINDO-ME MEDIANTE MEU ESPÍRITO

Em 1 Coríntios 5:4 Paulo diz que ele se reunia com os santos em Corinto mediante seu espírito. Enquanto ele estava ausente disse: “Reunidos vós e meu espírito”. Ele estava longe de Corinto, mas participava da reunião deles. Seu corpo estava ausente, mas seu espírito participava da reunião deles. Você alguma vez participou da reunião da igreja mediante seu espírito enquanto estava ausente dela? Enquanto Paulo estava ausente de Corinto fisicamente, ele ainda assim participava da reunião deles.

MEU ESPÍRITO REFRESCADO

Paulo diz em 2 Coríntios 2:13 que não pode encontrar seu irmão Tito, assim não teve descanso em seu espírito. Então em 2 Coríntios 7:13 Paulo diz que Tito foi refrescado em seu espírito pelos coríntios. Também 1 Coríntios 16:18 diz que alguns dos santos tem “refrescado meu espírito e o vosso” (lit.). O espírito de Paulo e os espíritos dos santos em Corinto haviam sido refrescados por alguns queridos irmãos.

MEU ESPÍRITO SE ALEGROU

Em Lucas 1:46-47 Maria disse: “Minha alma engrandece ao Senhor” (tempo presente) e “meu espírito se alegrou” (lit.) (tempo perfeito) “em Deus meu Salvador”. Primeiro, meu espírito se alegrou em Deus. Em segundo lugar, minha alma O engrandece. O espírito vem primeiro, depois a alma. O espírito se alegrou em Deus, depois engrandece ao Senhor. Estas são duas coisas. Alegrar-se em Deus é ter comunhão com Deus no espírito. Engrandecer ao Senhor é expressar o Senhor com nossa alma.

Devemos ter comunhão com o Senhor em nosso espírito e devemos expressar ao Senhor em nossa alma. Primeiro, temos comunhão com Ele; depois O expressamos. Primeiro nos regozijamos Nele; depois O engrandecemos. Regozijamo-nos Nele em nosso espírito e O engrandecemos com nossa alma. Estes dois órgãos são para dois tipos de uso. Se você deseja ter contato com o Senhor, tem que usar seu espírito. Se desejar expressar o Senhor, tem que usar sua alma. Meu espírito se alegrou em Deus e minha alma engrandece ao Senhor.

PURIFICADO EM ESPÍRITO

Segunda de Coríntios 7:1 diz que nos purifiquemos a nós mesmos de toda contaminação na carne e também no espírito. Temos a carne e temos o espírito. Nestas duas partes temos que ser purificados de todo tipo de contaminação. Seguramente, isto não se refere ao Espírito Santo. O Espírito Santo não necessita ser purificado de nenhum tipo de contaminação, mas nosso espírito sim.

ESPÍRITO E ALMA E CORPO

Primeira de Tessalonicenses 5:23 é um versículo que devemos prestar atenção e lembrar: “E o mesmo Deus de paz vos santifique por completo; e todo vosso ser, espírito e alma e corpo, sejam guardados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Nunca creia que o espírito é alma e a alma é o espírito. Alguns mestres cristãos dizem que o espírito e a alma são simplesmente sinônimos. Contudo, em 1 Tessalonicenses 5:23 eles não são porque ali é utilizada a conjunção “e”: “espírito e alma e corpo”. Duas conjunções unem três coisas. Alma é diferente do corpo e o espírito é diferente também da alma. Deus entra em nosso espírito e se expande do espírito para a alma e finalmente da alma ao corpo. Então seremos santificados por completo: espírito, alma e corpo.

Se você diz que o espírito é o mesmo que alma, então você está se igualando aos macacos, aos tigres, a todas as bestas e a todo gado. Jó 12:10 se refere a alma de todo ser vivente. Todo vivente inclui os animais. Nós somos seres viventes e também temos uma alma, mas além de uma alma temos algo superior, algo mais elevado: o espírito humano. Somos distintos dos animais porque eles têm uma alma, mas não têm espírito. Nós temos um espírito. Temos algo mais, algo superior, algo mais elevado, para ter contato com Deus. Fomos criados a imagem de Deus com tal órgão superior, o espírito humano, para ter contato com Deus.

A ALMA DIVIDIDA DO ESPÍRITO

Hebreus 4:12 diz que nossa alma pode ser dividida de nosso espírito, como os tutanos das juntas. Sabemos que as juntas formam parte dos ossos e que dentro destes ossos se encontra a medula. A medula está contida e escondida nos ossos, mas é absolutamente diferente dos ossos. Os ossos são como alma e o espírito é como a medula. O espírito está escondido e contido na alma, e a alma pode ser dividida do espírito.

EM UM MESMO ESPÍRITO, COM UMA SÓ ALMA

Filipenses 1:27 diz: “Estais firmes em um mesmo espírito, combatendo com uma só alma pela fé do evangelho” (lit.). Para estar firmes necessitamos estar em um mesmo espírito. Para lutar juntos para a pregação do evangelho, para a expansão do reino de Deus, necessitamos ser de uma só alma. Para estar firmes necessitamos estar em um mesmo espírito, mas para propagar o evangelho necessitamos ser de um mesmo pensamento, de um mesmo sentimento, de uma mesma opinião, de um mesmo conceito. Isto significa que necessitamos ser de uma só alma. Assim que em um mesmo espírito é uma coisa, com uma só alma é outra.

O ESPÍRITO MESCLADO

Por último, devemos ver que o Senhor Jesus como vida entra em nós, mas em que parte de nós? Segunda de Timóteo 4:22 diz: “O Senhor Jesus Cristo esteja com teu espírito”. Nada pode ser mais claro ou mais definido. O Senhor Jesus hoje está em nosso espírito. Aleluia! Cristo hoje está em nosso espírito. Nunca se esqueça de que Cristo é o espírito vivificante (1Co 15:45) em nosso espírito.

Primeira de Coríntios 6:17 diz: “Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele”. Já que Cristo hoje é o espírito vivificante, e nós temos uma parte interior, o espírito humano, estes dois espíritos simplesmente se unem e se mesclam e se tornam um espírito. O que se une ao Senhor, é um espírito com Ele. Agora temos um espírito mesclado. É bastante difícil determinar se este é o Espírito Santo ou o espírito humano porque os dois espíritos estão mesclados como um.

Por isso, Romanos 8:4, nos diz que andemos conforme o espírito. Qual espírito é este? Nós devemos andar não só conforme o Espírito Santo e não só conforme o espírito humano, mas conforme o espírito mesclado. Agora o Espírito Santo e o Espírito humano estão mesclados como um. Aqui nesta terra, neste universo, existe um lugar onde Cristo como o espírito vivificante é um conosco. Agora devemos andar conforme este maravilhoso espírito mesclado. Cristo é o espírito vivificante em nosso espírito.

Se nós queremos conhecer, experimentar e desfrutar este Espírito vivificante temos que conhecer nosso espírito humano. É por isso que nosso espírito humano é tão estratégico. Nosso espírito humano é o centro de nosso ser e o único órgão com o qual podemos ter contato com o Senhor. Em nosso espírito podemos ser um com o Senhor.


2

NOSSO ESPÍRITO HUMANO (2)

Leitura bíblica: Jo 3:6; 4:24; 2Tm 4:22; Mt 28:20

As Escrituras claramente revelam que temos um espírito humano e que Deus criou nosso espírito humano para que tenhamos contato com Ele. Em João 3:6 o Senhor Jesus disse: “O que é nascido do Espírito, é espírito”. Neste versículo há dois espíritos. É fácil entender que o primeiro Espírito deve de ser o espírito de Deus, mas, e acerca do segundo espírito? O segundo espírito neste versículo é nosso espírito humano. Nosso espírito humano é nascido do Espírito de Deus.

NASCIDO DE NOVO

Foi-nos ensinado que por sermos tão pecaminosos, malvados e maus, necessitamos nascer de novo. Suponhamos que você não é malvado nem pecaminoso, mas que é tão bom, ainda melhor que os anjos. Precisaria ainda assim nascer de novo? Os anjos são bons, mas não têm a vida de Deus. Necessitamos nascer de novo. Não importa se você é bom ou mal. Ainda necessita da vida de Deus. Ainda que não seja pecaminoso, precisa ser regenerado, ser renascido. Antes da queda, Adão era perfeito, puro e limpo; não havia nada mal nele, nada deficiente, nada com excesso, nada danificado, nada arruinado e nada corrompido. Adão era tão perfeito, puro e limpo. Este homem original tão puro, perfeito e limpo, necessitava nascer de novo a fim de ter a vida de Deus. Como poderia Adão obter a vida de Deus? Ao receber a árvore da vida (Gn 2:9). Se a vida da árvore da vida houvesse entrado nele, haveria nascido ele de novo! Haveria recebido outra vida, a vida de Deus. Nascer de novo simplesmente significa receber outra vida.

OUTRA VIDA

Apesar de Adão ser tão perfeito, tão puro, tão limpo e tão bom, sem nada alterado, nada danificado, nada corrompido, e nada arruinado, necessitava da vida de Deus. No princípio, Adão só tinha uma vida, mas se houvesse recebido a vida de Deus, teria então duas vidas;  lhe seria acrescentado outra vida. Isto é o renascimento. Isto é a regeneração. Ratificando o que tenho dito, nascer de novo não tem nada que ver com nossa queda. Ainda que sejamos genuínos, perfeitos, completos, puros e limpos, ainda necessitamos que entre em nós a vida de Deus. Quando a vida de Deus entra, somos regenerados.

A VIDA DA ALMA

A Bíblia nos diz que antes de ser regenerados tínhamos nossa vida humana. Esta vida humana está na alma. Na Bíblia é chamada a vida da alma. Algumas vezes o Novo Testamento usa a palavra alma para esta vida. É por isso que na versão ARC e ARA do Novo Testamento várias vezes a palavra alma foi traduzida como vida (Mt 16:25; Lc 9:24). Esta palavra para vida no texto grego original é a mesma palavra psiquê ou alma.

A VIDA FÍSICA

Nós temos também outra classe de vida, a vida biológica. Esta é a vida do corpo, que no texto grego é bios. Esta é a raiz da palavra biologia. Bios está no corpo. Quando uma pessoa está morta fisicamente, isso não significa que sua vida humana na alma está morta, mas significa que sua vida física, bios, está morta. Na alma temos a vida da alma; no corpo temos a vida física. Quando uma pessoa está morta fisicamente, está morta corporalmente. Isto significa que sua bios está morta, mas sua psiquê, sua vida da alma, todavia existe.

A VIDA DIVINA

Antes de ser salvos não tínhamos vida em nosso espírito. Nosso espírito era só um órgão. Quando recebemos o Senhor Jesus, Ele entrou em nosso espírito para ser nossa vida. Em nosso espírito temos outra vida, a vida divina. A palavra grega usada no Novo Testamento para esta vida é zoé. Zoé está em nosso espírito.
Bios  é a vida física em nosso corpo. Psiquê  é a vida humana na alma. Zoé, que se refere à vida divina, está em nosso espírito. Esta vida divina é simplesmente o próprio Deus. Esta vida divina é simplesmente Cristo mesmo, o próprio Deus, que entra em nosso espírito para ser nossa vida. Agora temos três tipos de vida. Em nosso espírito temos zoé, em nossa alma temos psiquê e em nosso corpo temos bios. Temos uma vida biológica, uma vida da alma e a vida divina. Esta vida divina, zoé, é simplesmente o Espírito.

O NASCIMENTO DE NOSSO ESPÍRITO

Nosso espírito nasceu quando Deus entrou nele como vida. “O que é nascido do Espírito, é espírito” (Jo 3:6b). Agora, a vida divina está em nosso espírito. Nosso espírito nasceu porque a vida de Deus entrou nele, e este nascimento não tem relação alguma com nossa queda. Ainda que Adão nunca tivesse caído, ele necessitaria nascer desta forma. Ainda assim necessitava que Deus entrasse nele como vida. De outra maneira, não poderia expressar a Deus. Necessitamos nascer de novo deixando que a vida de Deus entre em nós. Esta vida entra em nosso espírito, e nosso espírito nasce. Agora em nosso espírito há vida, e esta vida é simplesmente o próprio Deus.

VIVAM A VIDA DIVINA

Uma vez que temos três vidas, por qual vida devemos viver? Pela vida biológica? Pela vida da alma? Ou pela vida divina? Estamos acostumados a viver pela vida da alma, mas agora necessitamos viver pela vida divina em nosso espírito. Se não conhecemos nosso espírito, não podemos viver pela vida divina. Todos necessitamos conhecer nosso espírito.

O SENHOR COM SEU ESPÍRITO

Esta vida divina foi instalada em nosso espírito. Se necessitamos acender as lâmpadas, vamos ao interruptor. O que necessitamos hoje é tocar o “interruptor” de nosso espírito porque a vida divina está em nosso espírito. Nada pode estar mais claro ou definido que 2 Timóteo 4:22: “O Senhor Jesus Cristo esteja com teu espírito”. Não temos que ir a outros lugares. Necessitamos vir ao nosso espírito. Temos o costume de ir a outros lugares. Ainda quando chegamos à reunião da igreja e os irmãos dizem: “Aleluia! Amém!” Às vezes não vamos para o espírito. Porém nos mantemos na mente. Pode ser que até nos perguntemos: “Têm que ser tão ruidosos os irmãos?” Isto é uma prova forte de que temos o costume de estar fora do espírito. Temos o costume de estar na mente, mas devemos voltar-nos ao espírito. Esqueça dos quão gritadores e ruidosos são os irmãos. Você tem que exercitar seu espírito. Quando você entrar em seu espírito, talvez seja mais ruidoso. O problema é que nós os cristãos não nos voltamos para o mesmo lugar onde Deus está. Onde está Deus hoje? “O Senhor Jesus Cristo seja com teu espírito”.
Em Mateus 28:20 há uma grande promessa dada a nós. O Senhor Jesus promete estar conosco até o fim, até a consumação desta era. Esta é uma das grandes promessas na Bíblia. Ele está conosco até o fim desta era. Onde está Ele em nós? Ele está com nosso espírito.
Tudo o que necessitamos está em nosso espírito. A vida divina em nosso espírito é inesgotável e imensurável. Temos a vida divina dentro de nós, que é simplesmente o próprio Deus em nosso espírito. Este é o próprio Deus depois da encarnação, crucificação, ressurreição e ascensão. Hoje este mesmo Deus entra em nós para estar conosco em nosso espírito com a encarnação, crucificação, ressurreição e ascensão de Cristo.

VOLTA-SE AO ESPÍRITO

Necessitamos voltar-nos ao espírito. Necessitamos ser fortes no espírito. Necessitamos agir e caminhar no espírito porque aqui temos Deus, Cristo e a vida divina. A vida da alma e a vida biológica são secundárias. Temos a vida divina, que é o próprio Deus. Este não é Deus antes da encarnação, mas Deus depois da ascensão. O mesmo Deus com Sua encarnação, crucificação, ressurreição e ascensão está dentro de nós como nossa vida. Todo o dia devemos voltar-nos a este querido, invocando Seu nome (Rm 10:12-13). Você verá as riquezas, verá a doçura e verá o refrescante. Verá o poder, e ainda a autoridade.

O PONTO ESTRATÉGICO

O espírito humano é o ponto estratégico para a vida interior. Todos devemos conhecer nosso espírito humano. Aqui nascemos de novo e aqui adoramos a Deus. “Deus é Espírito; e é necessário que os que o adorem o adorem, em espírito e em verdade” (Jo 4:24), não no Espírito Santo, mas em nosso espírito humano. Em nosso espírito humano renascido adoramos a Deus, servimos a Deus, temos comunhão uns com outros e crescemos em vida. Ainda aqui temos a vida da igreja. Se você não está no espírito, não pode ter a vida da igreja. A vida da igreja é uma vida absolutamente no espírito humano. Quando nos voltamos ao espírito, você é um comigo e eu sou um com você. Não importa quanto falemos da vida da igreja, ainda não estamos nela a menos que nos votemos ao nosso espírito. Quando nos voltamos ao nosso espírito humano, estamos na vida da igreja e somos um.




3

NOSSO ESPÍRITO HUMANO NO VELHO TESTAMENTO

Leitura bíblica: Gn 2:7; Pv 20:27; Jó 32:8; Ex 35:21; Nm 14:24; Dt 2:30; Ed 1:1, 5;

Ag 1:14; Je 51:11; Jó 6:4; 10:12; 15:13; Sl 31:5; 32:2; 34:18; 51:10, 12, 17; 77:3, 6; 78:8;

Pv 16:2; Is 26:9a; 57:15-16; Sl 106:33; Pv 16:32, 18, 19; 17:27; 25:28; 18:14; Is 29:24;

Ec 7:8-9; Dn 5:12; 6:3; Ml 2:15b-16

Os versículos enumerados acima são os mais preciosos e os mais importantes no Velho Testamento concernente o espírito humano desde Gênesis 2 até Malaquias 2. É interessante ver que o primeiro versículo se refere a criação do espírito humano, enquanto que o último versículo no Velho Testamento, relativo ao espírito humano, nos exorta a estar atentos ao nosso espírito. Não só devemos estar atentos a nossa conduta exterior, mas que é necessário estar atentos ao nosso espírito interior, porque nosso espírito humano é fonte de toda nossa conduta. Se estamos errados na origem, por mais corretos que sejamos em nossa conduta, ainda assim estamos errados. Se a origem é suja, então, como pode ser limpo o resultado? É impossível. Assim, todos nós temos que estar atentos ao nosso espírito humano. Estes versículos mostram quão estratégico, quão importante, e quão predominante é este assunto de nosso espírito humano.

O SOPRO DE VIDA

Gênesis 2:7 revela a criação do homem. Deus usou o pó da terra para formar um corpo. Então Deus soprou o sopro de vida no nariz desse corpo de pó. Provérbios 20:27 diz: “Lâmpada de Jeová é o espírito do homem, a qual esquadrinha o mais profundo do coração”. O espírito neste versículo é a mesma palavra para “sopro” em Gênesis 2:7.
A palavra usada comumente no hebraico para espírito é ruach, mas aqui em Provérbios 20:27 a palavra hebraica para espírito é neshamah e não ruach. Esta é a mesma palavra usada para “sopro” em Gênesis 2:7. Este versículo é uma palavra forte, que demonstra que o sopro de vida soprado no nariz do corpo de pó do homem,  no momento da criação, é nosso espírito. Jó 32:8 também nos diz que há um espírito no homem.

A LÂMPADA DO SENHOR

Em Provérbios 20:27 o espírito do homem é a lâmpada do Senhor para esquadrinhar nossas partes interiores, para o tratar de Deus conosco. O tratar de Deus conosco é sempre em nosso espírito e por meio de nosso espírito. Nosso espírito humano é o meio e o órgão com o qual Deus trata conosco, e nos esquadrinha. Se você vai de noite a um edifício para fazer algo, não pode fazê-lo em trevas. Precisa de luz. Nosso espírito humano é uma lâmpada para Deus com a qual Ele pode esquadrinhar e tratar conosco.

UM ESPÍRITO MOTIVADOR

Em Êxodo 35:21, durante o tempo quando o tabernáculo ia ser construído, o espírito do povo se estimulou (Nova tradução de Darby). Não só seu coração os moveu, mas também seu espírito os incitou a proceder de maneira rápida para cumprir o propósito de Deus. Isto mostra que nosso espírito humano é um órgão com o qual prosseguimos para cumprir o propósito de Deus.

A IMPORTÂNCIA DE NOSSO ESPÍRITO

Zacarias 12:1 e Isaías 42:5 são bastante similares no conteúdo. Dizem-nos que em todo o universo há três coisas principais criadas por Deus: os céus, a terra e o espírito humano. Estes dois versículos nos mostram a importância do espírito humano. Nos céus há muitas coisas e na terra há muitas, mas Deus não enumerou estas coisas. Deus só se refere aos céus e a terra. Como seres humanos, também temos muitas partes, mas Deus não diz nada de todas as partes de nosso corpo ou as partes de nossa alma. Deus disse só uma coisa: o espírito do homem. Isto nos mostra a importância de nosso espírito humano porque nosso espírito humano é o órgão, o meio, com o qual Deus pode tocar-nos e tratar conosco, e com o qual nós podemos ter contato com Ele e recebê-Lo.

OUTRO ESPÍRITO

No tempo de Números 14:24 a maioria dos israelitas eram muito rebeldes contra Deus, mas Calebe era diferente. Ele não tinha outra mente, outra vontade, outro coração ou outra decisão. Calebe tinha outro espírito. Então diz que Calebe seguia o Senhor totalmente. Não temos outra forma para seguir o Senhor. Se desejamos seguir o Senhor, temos que usar o órgão apropriado, nosso espírito humano. Calebe seguiu o Senhor por outro espírito, que é diferente de todos os demais espíritos.

ENDURECIDO EM ESPÍRITO

Deuteronômio 2:30 diz que Deus endureceu o espírito de Seom, o rei. Não diz que Deus endureceu seu coração, mas seu espírito. O tratar de Deus com o homem é sempre por meio do espírito. Ainda que Ele permita que uma pessoa seja endurecida em seu espírito.

UM ESPÍRITO DESPERTADO

Em Esdras 1:1 e 5, no tempo da restauração de Deus, de Seu povo voltar a Jerusalém, Deus despertou o espírito de Ciro, rei de Pérsia e despertou o povo em seu espírito. Isto mostra outra vez que o tratar de Deus conosco é através do espírito. Não diz que Deus despertou o coração do rei de Pérsia, porque a restauração é totalmente o tratar de Deus e este tratar era absolutamente no espírito. Por um lado, Deus despertou o espírito do rei. Por outro, Deus despertou o espírito dos cativos. Então algo podia ser feito para a restauração de Deus.

Ageu 1:14 se refere a mesma coisa. Deus despertou o espírito de Zorobabel, o espírito de Josué, o sumo sacerdote e o espírito de todo o povo para a finalização da edificação. Esdras 1 nos fala do começo da restauração, mas Ageu nos fala da continuação da restauração. O começo e a continuação da restauração foram questões totalmente no espírito.

Então, que fazer na restauração de nossos dias? Certamente nunca poderia ser algo fora de nosso espírito. Deve ser algo absolutamente em nosso espírito. Para que Deus restaure Sua igreja em tantas localidades, sem dúvida você e eu necessitamos que Deus desperte nosso espírito.
Jeremias 51:11 também diz que “O SENHOR despertou o espírito dos reis dos medos; porque o seu intento contra a Babilônia é para a destruir”. Esta é a vingança do Senhor, a vingança de Sua casa. Babilônia destruiu o templo de Deus. Agora Deus despertou o espírito dos reis da Média para destruir a Babilônia. Esse foi um tipo de vingança que Deus repartiu com a Babilônia, a vingança de Sua casa. Ainda que não sejamos os reis da Média, Deus, entretanto, tem que despertar nosso espírito para a destruição de Babilônia e para a vingança de Sua casa. Tudo isto é no espírito.

O TRATAR DE DEUS NO ESPÍRITO

Jó 6:4 nos diz que segundo a compreensão de Jó, o que ele sofreu não era algo simplesmente exterior, mas algo interior em seu espírito. Conforme as nossas experiências espirituais, Jó 6:4 é bastante profundo. Jó diz: “Porque as flechas do Todo-Poderoso estão em mim, e o seu ardente veneno, o bebe o meu espírito”. Isto mostra que ainda que todos os sofrimentos que ocorreram a Jó eram exteriores, ele compreendeu que Deus estava tratando com ele, não só exteriormente, mas interiormente. O tratar de Deus com ele não era simplesmente algo exterior em seu ambiente, mas algo interior, profundo em seu espírito.

UM ESPÍRITO PRESERVADO

Jó 10:12 diz: “Vida e misericórdia me concedeste”. Isso significa que Deus me tem concedido viver e desfrutar muitíssimas coisas boas. Além disso: “E teu cuidado guardou meu espírito” (v. 12). Você já sentiu alguma vez a visitação de Deus? Em Jó 15:13 diz que “contra Deus voltas teu espírito”. Todos estes versículos nos mostram que a relação, a comunhão, entre nós e Deus, é absolutamente uma questão em nosso espírito.

UM ESPÍRITO ENCOMENDADO E SEM ENGANO

Salmo 31:5 diz: “Em tua mão encomendo meu espírito”. Lembrem-se que esta é uma palavra dita no Velho Testamento por um santo do Velho Testamento. Você alguma vez já disse, como um santo do Novo Testamento, algo como isto? Em Tua mão encomendo meu espírito. Geralmente dizemos que encomendamos nosso coração na mão de Deus. Salmos 32:2 diz: “Bem-aventurado é o homem...em cujo espírito não há engano”. De novo, tudo isto mostra claramente que a comunhão e a relação entre nós e Deus é absolutamente em nosso espírito.

UM ESPÍRITO CONTRITO, RETO, DISPOSTO E QUEBRANTADO

Em Salmos 34:18 diz “os contritos de espírito” e em Salmos 51:10, um “espírito reto”. Em Salmos 51:12 se encontra um “espírito disposto outra vez” (lit.). O Salmo 51 é uma oração de Davi. No versículo 10 ele diz: “Renova um espírito reto dentro de mim”. Depois, no versículo 12 ele diz: “Torna a dar-me a alegria de tua salvação e sustenta-me com um espírito disposto” (lit.). Depois, no versículo 17 há um “espírito quebrantado”. O Salmo 51 nos mostra um espírito contrito, um espírito reto, um espírito disposto e um espírito quebrantado.

MEU ESPÍRITO

Salmo 77:3 diz: “Me queixava, e desmaiava em meu espírito”. Salmos 77:6 diz: “Me acordava de meus cânticos de noite, meditava em meu coração, e meu espírito inquiria”. Meditava com meu coração, mas meu espírito inquiria com diligência na presença de Deus.

UM ESPÍRITO FIEL

Salmo 78:8 diz que os filhos de Israel não foram fiéis em seu espírito para com Deus. Necessitamos de um espírito fiel para com Deus. Não só necessitamos decidirmos em nossa mente ou ter uma vontade forte, mas necessitamos ter um espírito fiel para com Deus.

DEUS PESA NOSSO ESPÍRITO

Provérbios 16:2 diz: “Todos os caminhos do homem são limpos em sua própria opinião; mas Jeová pesa os espíritos”. Deus põe o espírito em uma balança, para pesar. Para Deus o que importa é o que somos em nosso espírito. Nós consideramos nossos caminhos; Ele pesa nossos espíritos.

UM ESPÍRITO BUSCADOR

Isaías 26:9 diz: “Com minha alma suspiro de noite por Ti e, com o meu espírito dentro de mim, eu te procuro diligentemente” Desejar o Senhor é algo da alma, mas buscar o Senhor é uma questão do espírito. Com minha alma Te desejo. Com o espírito dentro de mim Te busco. Temos que buscar o Senhor com nosso espírito.

UM ESPÍRITO CONTRITO E HUMILDE

Em Isaías 57:15-16 encontramos um espírito contrito e humilde. O versículo 16 diz que o Senhor não será tão duro conosco. Se Ele fora demasiado duro conosco, então nosso espírito definharia. Às vezes o Senhor permite que certas coisas nos aconteçam, mas ainda assim há certo tipo de limitação, porque o Senhor tem cuidado com nosso espírito. Ele sabe que nosso espírito não pode sofrer tanto em certa situação difícil, assim, Ele não permitirá muito sofrimento a fim de que nosso espírito não definhe. Isso porque Deus se preocupa com nosso espírito.

UM ESPÍRITO PROVOCADO

Salmos 106:33 nos diz que os filhos de Israel provocaram o espírito de Moisés. Isto nos mostra que o espírito é a parte mais profunda de uma pessoa e a mais importante. Eu posso provocar a sua mente. Isso não significa muito. Mas se eu provoco seu espírito, isso é algo verdadeiramente sério.

DOMINAR SEU ESPÍRITO


Provérbios 16:32 diz: “Melhor é o longânimo do que o herói da guerra, e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade.” Isto mostra a importância de nosso espírito. Se puder dominar de seu espírito, isto significa que você é muito forte. Dominar de seu espírito é melhor que tomar uma cidade.

Provérbios 25:28 diz: “ Como cidade derribada, que não tem muros, assim é o homem que não tem domínio próprio”. Se você não pode controlar seu espírito, isso significa que você é um derrotado como uma cidade que teve derrubada as suas muralhas. A sua proteção está com seu espírito e em seu espírito.

UM ESPÍRITO ALTIVO

Provérbios 16:18 diz: “Antes do quebrantamento vem a soberba, e antes da queda a altivez de espírito”. Ser altivo em espírito, ser orgulhoso em espírito é terrível. “Melhor é ser humilde de espírito com os humildes” (Pv 16:19).

UM ESPÍRITO SERENO

Necessitamos de um espírito fervoroso para o Senhor, mas às vezes para o entendimento, necessitamos um espírito sereno (Pv 17:27). É fácil que as irmãs sejam fervorosas, mas é difícil que elas sejam serenas. Para o interesse de Deus necessitamos estar ferventes, ardendo, mas para o entendimento necessitamos ser serenos no espírito. Necessitamos de um espírito sereno para entender as coisas espirituais.

NOSSO ESPÍRITO NOS SUSTENTA

Provérbios 18:14 diz: “O espírito do homem o sustentará na sua doença” (lit.). Doença aqui significa enfermidade. O espírito do homem o sustentará em sua enfermidade. Quando estamos enfermos fisicamente, se nosso espírito é débil, isso é terrível. Isso é bastante sério. Se formos fortes em espírito, apesar de quão enfermos estivermos no corpo, nosso espírito pode sustentar a enfermidade física. “Mas um espírito abatido, quem o sustentará”? (lit. Pv 18:14). Quando seu espírito está ferido, isso de verdade é muito sério.

ERRAR NO ESPÍRITO

Isaías 29:24 diz: “Os errados de espírito aprenderão inteligência” (lit.). Errar em outra parte de nosso ser não é tão sério, mas se erramos no espírito, isso é realmente sério.

PACIENTE EM ESPÍRITO

Eclesiastes 7:8-9 diz: “Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas; melhor é o longânimo do que o altivo de coração. Não te apresses no teu espírito a irar-te”. Se puder ser paciente e não apressado, você está bem. Muitas vezes somos pacientes, mas só pacientes em nossas emoções e não no espírito. As pessoas que são pacientes em suas emoções finalmente serão muito impacientes em seu espírito. A verdadeira paciência, a paciência sem fim está no espírito. Necessitamos ser pacientes em nosso espírito e não apressados em nosso espírito.

UM ESPÍRITO SUPERIOR

Daniel 5:12 e 6:3 nos dizem que Daniel era um homem com um espírito superior. “Mas o próprio Daniel era superior a estes sátrapas e governadores porque havia nele um espírito superior”.

ESTAR ATENTOS AO SEU ESPÍRITO

Finalmente, Malaquias 2:15-16 nos diz que estejamos atentos ao nosso espírito. Irmãos e irmãs estejam atentos ao seu espírito. Não discutam. Não se desculpem por vocês mesmos. Têm que estar atentos ao seu espírito. Seu espírito é a fonte de sua conduta. Para Deus importa seu espírito e vocês têm que estar atentos a este.



4

NOSSO ESPÍRITO HUMANO

NASCIDO DO ESPÍRITO DIVINO

 

Leitura bíblica: Jo 3:6b; 4:24: Ef 2:1; Ez 11:19; 18:31; 36:26-27

DOIS ESPÍRITOS

João 3:6 diz: “O que é nascido do Espírito, é espírito”. É evidente que neste versículo há dos espíritos. O primeiro Espírito leva letra maiúscula e se refere ao Espírito divino. O segundo espírito leva letra minúscula e se refere ao espírito humano. O que é nascido do Espírito divino é o espírito humano. Nosso espírito humano necessita nascer do Espírito divino.
Ezequiel 11:19, 18:31, e 36:26 nos dizem que Deus prometeu dar a Seu povo um espírito novo. Este espírito novo, segundo Ezequiel 36:26 não é o Espírito Santo, porque em Ezequiel 36:27, depois de mencionar o espírito novo, diz que Deus porá Seu próprio Espírito dentro de nós. Há dois tipos de espíritos. Um é o novo espírito humano e outro é o Espírito Santo de Deus. Deus é capaz de nos dar um espírito novo por meio da regeneração. O que Deus prometeu em Ezequiel 36 está sendo cumprido em João 3:6. Em João 3:6 nos diz que nosso espírito tem que nascer do Espírito divino. Não é simplesmente para avivá-lo; não é simplesmente para restaurá-lo; mas que é para regenerá-lo.

REGENERAÇÃO

Regeneração e restauração são duas coisas diferentes. A regeneração não é simplesmente uma restauração. Restauração significa restaurar, restaurar algumas coisas velhas. Mas regeneração significa pôr outra vida dentro da coisa velha. Não é gerar, mas regenerar. Gerar significa que não existe a coisa, mas regenerar significa que já existe e agora é colocado outra vida dentro dela.

A ÁRVORE DA VIDA

Em Gênesis 1 e 2, o homem foi feito a imagem de Deus, mas desde então o homem não tinha a vida eterna e incriada de Deus. O que o homem tinha era simplesmente o sopro de vida e não a vida eterna de Deus. Assim, depois da criação do homem, Deus pôs o homem diante da árvore da vida. A árvore da vida significa a vida divina, a vida eterna de Deus. Deus pôs o homem diante da árvore da vida para que pudesse tomar Sua vida, mas antes que o homem tomasse da vida de Deus, o homem caiu.

A REGENERAÇÃO E O PROPÓSITO DE DEUS

Devido à queda, o homem necessita de redenção, mas a redenção não é a meta de Deus. A redenção não é o objetivo de Deus. A redenção é simplesmente o procedimento de Deus de recuperação. A redenção traz o homem caído de volta ao propósito de Deus. Ainda que você seja redimido, se não tiver recebido a vida de Deus, com você o propósito de Deus não terá sido cumprido. Por isso, uma vez que tenhamos recebido redenção, obtemos a vida de Deus. Deus pôs estas duas coisas juntas. Deus faz um trato todo-inclusivo conosco. A maioria dos cristãos só se interessa pela redenção e não muito pela vida. Mas temos que ver que a redenção é simplesmente um procedimento de recuperação para o propósito final, que é ter a vida de Deus. O propósito final de Deus é pôr Sua vida em nós. Esta introdução de Sua vida em nós é regeneração. Confirmando então, a regeneração não tem nada que ver com nossa queda. A redenção trata com nossa queda; a regeneração cumpre com o propósito de Deus.

REDENÇÃO E VIDA

Podemos usar garrafas de Coca-cola como uma ilustração. As garrafas são para conter Coca-cola, mas todas as garrafas caíram no lixo. Primeiro, é necessário restaurá-las, trazê-las de volta. Mas o trazê-las de volta não cumpre seu propósito. Se você traz todas as garrafas que caíram de volta e as limpa com detergente, ainda estão vazias. Esta volta resolve o problema da queda. Depois de trazê-las de volta e depois de purificá-las e limpa-las com detergente, é necessário um passo posterior: o de encher as garrafas com Coca-cola.
Nós somos as garrafas, os vasos (Rm 9:21, 23). Antes de ser cheios com a vida de Deus, caímos no lixo. Antes que fôssemos salvos, estávamos no lixo. Louvado seja o Senhor pela misericórdia de Deus! Um dia Ele veio ao lixo e nos tirou. Isso foi a redenção. A redenção resolve o problema de nossa queda. Ao mesmo tempo, Deus põe Sua vida divina em nós.

UM ESPÍRITO NOVO

Quando cremos no Senhor Jesus, recebemos outra vida. Receber outra vida significa ser regenerado. Já tínhamos uma vida, nossa vida humana, e agora recebemos outra vida em nós, a vida divina. Esta vida divina entra em nosso espírito. “O que é nascido do Espírito, é espírito” (Jo 3:6b). Estávamos no lixo, mas um dia Deus nos tirou do lixo. Deus nos redimiu. Ao mesmo tempo, Ele se dispensou a Si mesmo em nós como o Espírito Divino. Então recebemos a vida divina. Então nascemos do Espírito. Louvado seja o Senhor! Temos regeneração. Temos outra vida. Outro Espírito entrou em nós, o que é realmente algo novo. Agora temos um espírito novo que é o cumprimento de Ezequiel 11:19, 18:31 e 36:26. Deus prometeu dar-nos um espírito novo e Ele fez isto regenerando-nos com Ele mesmo como o Espírito. Quando cremos no Senhor Jesus, quando invocamos Seu nome como nosso Salvador, quando o recebemos em nós, o Espírito Divino entrou em nós para ser nossa vida e fomos regenerados. Fomos renovados e nosso espírito foi feito novo. Nosso espírito chegou a ser um espírito novo.

UMA VEZ MORTOS, MAS AGORA VIVOS

Efésios 2:1 nos diz que estávamos mortos em pecados. Isso não quer dizer que estávamos mortos em nosso corpo. No sentido físico, ainda estávamos bastante vivos e ativos. Isso não significa que estávamos mortos em nossa mente, em nossa alma ou em nossas emoções. Em nossa alma ainda estávamos bastante vivos, mas devido à queda nosso espírito estava morto.
Quando cremos no Senhor Jesus, o Espírito Divino, o Espírito Santo de Deus, entrou em nosso espírito para avivá-lo e vivificá-lo outra vez. Deus não somente vivificou nosso espírito morto, mas que Ele também se pôs a Si mesmo em nosso espírito. Agora o Espírito Divino está em nosso espírito humano e estes dois se tornaram um (1Co 6:17). Isto não é somente algo vivificante, mas que é também uma regeneração. Deus não simplesmente vivifica os mortos, mas também regenera a os que já existem. Agora nosso espírito tem um novo começo.

ADORANDO EM ESPÍRITO

O evangelho de João nos diz que depois do novo nascimento, temos que aprender como adorar a Deus. Deus é Espírito. Quando o adoramos, devemos adorar em espírito: não no Espírito Santo, mas em nosso espírito. “Deus é Espírito; e os que o adoram, em espírito e em verdade é necessário que adorem” (Jo 4:24). O assunto de adoração inclui todas as coisas espirituais. A adoração na Bíblia significa servir a Deus, orar a Ele, louvá-lo, dar-lhe graças e compartilhar uns com outros na presença de Deus. O que façamos para Deus, com Deus e em Deus deve ser feito em nosso espírito. Este é um princípio estabelecido, mas alguns de nós ainda assim não sabemos como usar nosso espírito. Isto porque muitos cristãos não sabem que têm um espírito. Em doutrina, pode ser que eles saibam que há algo que se chama o espírito humano, mas em prática não sabem como usar o espírito. Esta é a pobre situação hoje, mas para a restauração da vida da igreja, é necessária a restauração do espírito humano.
Se não estamos em nosso espírito humano, o único que temos é doutrina. Se você tem alguma realidade espiritual, esta é algo em seu espírito. Necessitamos ter a experiência, a realização do Espírito Divino em nosso espírito humano. Deus tem regenerado nosso espírito. Nosso espírito já não é um espírito morto. Nosso espírito foi vivificado e nosso espírito foi regenerado. Agora temos o Espírito Divino morando em nosso espírito humano.

O ESPÍRITO VIVIFICANTE, REGENERADOR E RESIDENTE

Há três passos nesta questão da regeneração. Primeiro, o Espírito Divino entra em nosso espírito para vivificar a nosso espírito morto. Depois, ao mesmo tempo o Espírito Divino dispensa Cristo, Deus, dentro de nosso espírito. Isto é o regenerar. Depois disto e ao mesmo tempo, o Espírito Santo começa a morar em nós. Isto é o residir. Pela regeneração não só temos o vivificar e não simplesmente o regenerar, mas também o residir.
Não só temos o poder do Espírito, mas também a vida. Não só temos a vida, mas também a presença, o próprio Espírito. Seu poder de vida nos vivifica, Sua vida nos regenera e Sua presença reside em nós. Temos o espírito vivificante, o espírito regenerador e o espírito residente em nosso espírito. Agora temos que servir ao Senhor, adorar a Deus, fazer Sua obra, ter comunhão com Ele, ter comunhão nele e uns com outros, ajudar a outros e pregar o evangelho com o espírito em nosso espírito.



5

NOSSO ESPÍRITO HUMANO
NO NOVO TESTAMENTO (1)

Leitura bíblica: Rm 1:9a; 2:29; 7:6; 8:4; Gl 5:16; Rm 8:10, 16; At 18:25; 17:16; 19:21; 20:22; 1Co 2:4, 11, 13-15; 3:1-3; 5:3-4; Cl 2:5; 1Co 4:21; Gl 6:1; 1Pe 3:4; 1Co 7:34;

2Co 7:1;1Co 14:2, 14-16, 32; 16:18; 2Co 2:13; 7:13; 12:18; Gl 6:18; Fl 25

MEU ESPÍRITO

O livro de João revela que o Espírito Santo gera o espírito humano (3:6) e o espírito humano adora o Espírito Divino (4:24). Romanos nos diz que sirvamos a Deus em nosso espírito: “Porque minha testemunha é Deus, a quem sirvo em meu espírito” (Rm 1:9). Estou muito agradecido ao apóstolo Paulo por usar o pronome “meu” antes de “espírito”. Paulo destacou clara e definitivamente “em meu espírito”. Servir a Deus não é simplesmente uma questão no Espírito Santo, mas também um item em nosso espírito.

O ESPÍRITO HUMANO
E NOSSA COOPERAÇÃO

Se nós só tivéssemos ondas eletromagnéticas no ar e não um rádio com um receptor, como poderíamos receber as ondas eletromagnéticas? Do nosso lado, no sentido prático, o que necessitamos é um “rádio” com um receptor. Deus tem provido as ondas eletromagnéticas celestiais e nós temos que providenciar o receptor. O homem pode ser assemelhado a um rádio. O Espírito Santo é como as ondas eletromagnéticas celestiais. O espírito no homem é como o receptor do rádio. O receptor é nosso espírito. Deus tem cumprido com Seu dever e nós temos que nos encarregar de nosso espírito. Temos que cooperar com Deus preparando o órgão apropriado para receber o que Ele é, o que Ele fez e o que Ele fará. Não é necessário fazermos nada do lado do Espírito Santo. Deus já cumpriu com isso totalmente. Simplesmente necessitamos fazermos nossa parte, o espírito humano.

O ar pode estar cheio de ondas de rádio, mas se não temos um rádio, não podemos recebê-las. Se temos um rádio, mas o receptor está com defeito, este ainda não servirá. Necessitamos preparar um rádio e necessitamos regular o receptor apropriadamente. Quando se tem o rádio, tem que sintonizar e regular, assim vem a música. O que temos que atender é nosso espírito humano. Deus já fez tudo e já se encarregou de tudo. O que se faz necessário é nossa cooperação e coordenação. A coordenação que podemos prestar a Deus é preparar nosso espírito, regular nosso espírito e sintonizar nosso espírito.

CIRCUNCISÃO EM ESPÍRITO

Romanos 2:29 nos diz que hoje na esfera espiritual, no reino de Deus, tudo deve ser no espírito e não na letra. “no espírito” aqui está em contraste com “na carne” no versículo anterior. O povo judeu tinha sua circuncisão na carne. Agora Paulo nos diz que a verdadeira circuncisão espiritual não é na carne, mas no espírito. Não é algo em letra, mas em espírito.

SERVINDO EM NOVIDADE DE ESPÍRITO

Em Romanos 7:6 servimos não na velhice da letra da lei, mas que sirvamos em novidade do espírito porque estamos mortos para a lei e não temos nada a ver com a lei. Pode ser que alguns exemplos nos ajudem a ilustrar estas questões da velhice da letra e a novidade do espírito.

Em 1937 fui a certa reunião de oração em Hangkow, China. Todas as pessoas se ajoelharam, o pastor começou a orar e eu fechei meus olhos e escutei a oração. Foi uma composição muito boa. Me surpreendeu grandemente. Eu pensei que este pastor devia ser uma pessoa douta, de outra maneira, não poderia compor uma oração tão boa. Depois, abri meus olhos e olhei para o pastor. Ele estava lendo! Depois descobri que eles tinham um livro de orações. Para cada tipo de reunião há certo tipo de oração. Para o serviço do domingo pela manhã há certas orações. Para um casamento há certas orações e certos versículos que citar. Para um funeral há certas orações e certos versículos que citar. Quando se vem a qualquer tipo de reunião, simplesmente abre o livro de orações em uma porção específica. Tudo está ali.
Algumas das pessoas na congregação diziam que sempre que vinham a certa reunião, eles sabiam qual seria a primeira oração, qual seria a segunda oração e qual texto seria lido. Em cada ocasião, eram lidos os mesmos versículos e a mesma oração. Nem sequer o pastor tem necessidade de ir a Bíblia. O livro de orações é o livro todo-inclusivo para eles. Cada vez que têm um casamento, o pastor simplesmente vai a essa certa porção e pratica tudo conforme está no livro de orações. Isto é simplesmente a velhice da letra.

Em toda minha vida cristã, não tenho visto muitas festas de casamentos vivas. Quase todas elas estavam mortas. Certo pastor, contudo, em vez de estar de acordo com o regulamento em letras, chorou com lágrimas diante da noiva e do noivo. Então ele disse ao noivo: “Hoje não estás parado na minha presença. Estás parado na presença do Senhor. Eu sei tua situação como um jovem. Te conheço. Estou muito preocupado por você hoje.” Esta é a novidade do espírito. Isto surpreendeu a congregação. Esse dia o pastor simplesmente abriu e passou pela letra morta. Atravessou a velhice. Mais tarde esse jovem foi realmente capturado por Deus devido essa cerimônia de casamento.

Hoje devemos servir ao Senhor conforme a novidade. Quando chegamos juntos para reunir-nos, devemos reunir-nos conforme a novidade. Se manter conforme a velhice é fácil. Se eu fosse pastor seria fácil, acabando de estudar quatro anos em um seminário, familiarizar-me com um livro de orações e ler certas porções para certas ocasiões. Mas se você deseja servir em novidade do espírito deve manter-se na presença do Senhor e viver no espírito tendo contato com o Senhor. De outra maneira, não terá a novidade, mas espontaneamente terá a velhice. Ter a velhice é fácil, mas para manter a novidade é necessário ter contato com o Senhor dia após dia.

A NOVIDADE DO MANÁ

Os filhos de Israel comiam maná todos os dias, mas não havia velhice. Todos os dias era encontrada a novidade do maná, a frescura do maná (Ex 16:13-15, 21-22). Muitas pessoas fazem suas compram uma vez por semana. Compram sua comida e a guardam no refrigerador por uma semana. Mas Deus não deu o maná uma vez por semana. Os filhos de Israel não saíam de suas tendas as segundas pela manhã, recolhendo maná e depois guardando no refrigerador para desfrutar por uma semana. Deus enviava o maná dia após dia, de madrugada.

Se você ama sua cama, perde o maná. Tem que levantar-se cada manhã para tocar o orvalho fresco, uma vez que o maná sempre descia com o orvalho (Ex 16:13-14). Tem que levantar-se cedo para recolher maná cada manhã. Cada manhã é o mesmo maná, mas cada manhã é fresco. Eu sei e creio que o que estava no coração do Senhor era que Seu povo tivesse que se levantar cedo de madrugada para ter contato com Ele.

Temos a mesma Bíblia cada manhã, o mesmo maná, mas deve ser fresca cada manhã sob o frescor do orvalho. Tudo depende de seu contato com Deus. Se em sua leitura da Bíblia, não há contato com Deus, o mesmo livro se torna velho. Se há contato com Deus, o mesmo livro se torna novo. O servir a Deus hoje não é questão de velhice, mas de novidade. Novidade é simplesmente o próprio Deus! A novidade está em Deus! Se você tem contato com Deus, se está em Deus e se é um com Deus, qualquer coisa que diga é nova. Por quarenta anos o mesmo maná desceu uma e outra vez, mas era novo cada manhã. Ser novo significa estar na presença de Deus, estar em Deus. Servimos a Deus hoje na novidade de Sua presença. Odeio ver a velhice nas reuniões da igreja. Devemos aprender a estar novos na presença do Senhor em tudo o que fazemos. Em toda coisa que fazemos devemos ter Deus. Então temos a novidade.

ANDANDO CONFORME O ESPÍRITO

Em Romanos 8:4 diz que andemos, não conforme a carne, mas conforme o espírito. O espírito aqui em Romanos 8:4 é o espírito mesclado, nosso espírito mesclado com o Espírito Santo (Rm 8:16; 1Co 6:17). Temos que andar conforme nosso espírito porque hoje o Espírito Santo está em nosso espírito e ainda é um com nosso espírito. Quando andamos conforme nosso espírito, espontaneamente andamos conforme o Espírito Santo, porque os dois espíritos são um.

A maioria das pessoas anda e age conforme a mente, conforme o que pensam e conforme o que gostam. Alguns que andam segundo a carne estão fazendo coisas boas conforme seu parecer, seu pensamento e conforme seu gosto ou antipatia. Mas nós cristãos devemos andar conforme o espírito. É fácil discernir o espírito da carne, mas algumas vezes não é fácil discernir o espírito da mente. Talvez, por exemplo, você esteja pensando em visitar um irmão, mas por dentro algo lhe está incomodando. Deve andar não conforme seu pensar nem o que gosta ou não gosta, mas simplesmente conforme a “luz vermelha interior” ou a “luz verde interior”. Isto é andar conforme seu espírito. A carne é nosso corpo caído (Rm 7:18, 24; 8:13) e a mente, o órgão do pensar, é uma parte de nossa alma caída (Sl 13:2; 139:14; Lm 3:20). A maioria das pessoas anda conforme estas duas coisas. Quando andam de uma forma melhor, andam conforme seu pensar. Quando andam de uma forma pior, andam conforme sua carne. Nós cristãos, contudo, não devemos andar conforme nenhum destes dois, mas conforme o espírito. Não nos importa meramente o que é bom ou mau, correto ou incorreto. Só nos importa a luz verde interior ou a luz vermelha interior. Só nos importamos com o espírito. Andamos conforme o espírito.

ANDANDO PELO ESPÍRITO

Gálatas 5:16 diz: “Andai pelo espírito, e não satisfareis os desejos da carne” (lit.). A cruz tem que tratar com nossa carne, com nossa mentalidade, com nosso pensar e com nossas simpatias e antipatias, para que andemos inteiramente pelo espírito que habita e que se mescla com nosso espírito regenerado. E quanto mais andamos pelo espírito mais espirituais somos. Ser espiritual simplesmente significa estar em espírito. 

O ESPÍRITO SENDO VIDA

Romanos 8:10 diz que “o corpo na verdade está morto por causa do pecado, mas o espírito é vida por causa da justiça” (lit.). Se você é fiel ao Senhor, se dará conta de que, por um lado, seu espírito dentro está tão vivo, cheio de vida, mas, por outro, seu corpo está morto porque está caído e incapacitado. Alguns irmãos e irmãs fisicamente débeis amam muitíssimo ao Senhor e são muito fiéis a Ele. Eles descobriram que seu espírito dentro está tão vivo, cheio de vida, mas seu corpo fora está incapacitado, débil e morto devido o pecado que herdamos de Adão. Assim, necessitamos que nosso corpo seja redimido, que é a redenção plena (Rm 8:23; Fl 3:21). Nosso espírito foi regenerado, mas nosso corpo ainda não foi redimido. Temos a esperança de que algum dia desfrutemos a plena filiação, a redenção de nosso corpo.

O ESPÍRITO DANDO TESTEMUNHO COM NOSSO ESPÍRITO

Romanos 8:16 diz: “O próprio Espírito dá testemunho com nosso espírito, de que somos filhos de Deus” (lit.). Este versículo claramente nos diz que existe o espírito de Deus e existe nosso espírito e que estes dois espíritos são um. O próprio Espírito dá testemunho com nosso espírito. Os dois espíritos trabalham juntos como um. Primeiro este versículo nos diz que há dois espíritos, ou seja, o Espírito de Deus e nosso espírito. Em segundo lugar, este versículo nos diz que estes dois espíritos trabalham juntos e em terceiro lugar nos diz que estes dois espíritos trabalham juntos para a filiação.

FERVOROSOS EM ESPÍRITO

Romanos 12:11 diz que necessitamos ser “fervorosos em espírito”. Necessitamos ser ardentes. Isto quer dizer que primeiro você é queimado e depois queima outros. Necessitamos ser ardentes em nosso espírito. Somos incendiados pelo Espírito ardente (Ap 4:5) e então incendiamos outros. Oh, que sejamos fervorosos! Que sejamos ardentes! Que estejamos incendiados! Então sirva você ao Senhor.
Apolo em Atos 18:24 é um exemplo disto. Ele era “de espírito fervoroso” (18:25). Ele conhecia a Bíblia, mas ainda assim não entendia com muita clareza a economia de Deus, o caminho de Deus. Contudo, era fervoroso em espírito.

PAULO, UMA PESSOA NO ESPÍRITO

Em Atos 17:16 Paulo foi provocado em seu espírito pelos ídolos em Atenas. Depois em Atos 19:21 ele propôs em seu espírito; ele não resolveu nem decidiu em sua vontade, mas propôs em seu espírito. Depois em Atos 20:22 ele estava “ligado no espírito”. A prévia era que seria ligado, capturado e preso (20:23). Antes de seu corpo fora ligado, seu espírito foi ligado. Por estes versículos podemos ver que Paulo era uma pessoa que vivia, andava, trabalhava, agia e se movia em seu espírito.

DEMOSTRANDO O ESPÍRITO

Primeira de Coríntios 2:4 diz que quando Paulo veio a Corinto pela primeira vez nem sua palavra nem sua pregação foram “com palavras persuasivas de humana sabedoria, mas com demonstração do Espírito”. A palavra e pregação do apóstolo não foram de sua mente com palavras de especulação, mas de seu espírito com a liberação e exibição do Espírito, e, portanto, de poder. Em tudo o que façamos, temos que demonstrar o Espírito, não nossa sabedoria, eloquência, erudição nem conquistas. Devemos demonstrar o Espírito por meio de nosso espírito em uma de forma simples.

O ESPÍRITO DO HOMEM E O ESPÍRITO DE DEUS

Primeira de Coríntios 2:11 diz que só o espírito do homem sabe as coisas do homem. Muitas pessoas que são sumamente educadas não sabem o que são, quem são, onde estão ou para onde vão. Só o espírito do homem conhece as coisas do homem. Temos que ir a nosso espírito.

Se você tem algum problema com seu esposo, tem que ir a seu espírito. Se tem algum problema com sua esposa, vá a seu espírito! Então saberá! O espírito do homem sabe! Seu espírito sabe! Se não sabe claramente que tem que fazer com sua esposa, seu esposo, seus filhos ou seus irmãos, vá a seu espírito. Se não sabe como tratar com seus irmãos no Senhor, vá a seu espírito. Se não sabe que fazer com os problemas da igreja, com um assunto da igreja, recorra a seu espírito. O espírito do homem o sabe porque é a realidade do homem. Além disso, o Espírito de Deus revela ao homem em seu espírito (1Co 2:11-12) as coisas de Deus e a situação, a condição do homem. Assim, se queremos conhecer as coisas do homem e as coisas de Deus, temos que vir ao nosso espírito. Aqui sabemos as coisas do homem e é aqui que vemos as coisas de Deus. Todos temos que vir ao nosso espírito. Então somos pessoas no espírito, homens espirituais e não homens da alma. O homem almático não recebe as coisas do Espírito de Deus (1Co 2:14). O homem almático é um homem governado por sua mentalidade. Quando nos voltamos ao espírito e permanecemos no espírito chegamos a ser homens espirituais.

TRÊS TIPOS DE PESSOAS

Em 1 Coríntios 2:13-16 e 3:1-3 há três tipos de pessoas: os espirituais, os almáticos e os carnais. A pessoa almática é alguém que vive conforme sua mente, emoção ou vontade. Ele não conhece nem se importa com seu espírito. Ele só vive, trabalha e anda conforme a sua alma. A pessoa carnal é alguém que anda e vive conforme a concupiscência de seu corpo caído, a carne.

Uma pessoa carnal facilmente critica, condena e deprecia outras pessoas. Pode ser que a outra pessoa seja muito boa, sempre cuidadosa, cheia de consideração e cuidado por outros. Ainda que eu seja tão pobre, tão mau e tão feio, essa pessoa boa não diria nenhuma palavra má a meu respeito. Contudo é possível que esta pessoa boa ainda seja um almático devido não saber que tem um espírito. Pode ser que trabalhe em seu doutorado em sociologia e aprenda como ser humanista exercitando sua mente. Por outro lado, um homem espiritual é alguém que anda não conforme a carne, nem conforme nenhuma coisa da alma, mas conforme o espírito. Agora ele é um homem espiritual de modo que tem o discernimento espiritual; pode saber as coisas espirituais e ainda pode saber todas as coisas do homem. Um homem espiritual é um homem sábio. E quanto mais você viver no espírito, mais tem o discernimento sábio de todas as coisas, ainda das coisas de Deus.


6

NOSSO ESPÍRITO HUMANO NO NOVO TESTAMENTO (2)

 Leitura bíblica: Ef 1:17; 2:22; 3:5; 5:18; 6:18; 4:23; Cl 1:9-10; Fl 2:1; 2Tm 1:7; 4:22;

Hb 12:9; Ap 22:6; 1:10; 4:2; 17:3; 21:10; 1Ts 5:23; Hb 4:12; Lc 1:46-47; Fl 1:27; 1Co 6:17

UM ESPÍRITO DE SABEDORIA E REVELAÇÃO

Efésios 1:17 diz: “Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê espírito de sabedoria e revelação no pleno conhecimento dele” (lit.). Para conhecer a Deus, para conhecer a Cristo e para conhecer a igreja é necessário um espírito de sabedoria e revelação. Isto só pode ser possível se estamos dispostos a exercitar nosso espírito.

EM ESPÍRITO

Há quatro versículos em Efésios com a pequena frase “em espírito” (lit.): 2:22; 3:5; 5:18 e 6:18. No capítulo dois “em espírito” é para o edifício de Deus. No capítulo três “em espírito” é para ver a revelação do mistério de Cristo. Depois no capítulo 5 encontramos o encher do Espírito residente em nosso espírito: “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução; antes sede cheios no espírito” (lit., 5:18). Em espírito temos o encher: não o derramamento, nem o encher exterior, mas o encher interior do Espírito Santo em nosso espírito.
Assim como as pessoas embriagadas estão cheias de vinho em seus corpos, temos que estar cheios de Deus em nosso espírito. O corpo deles se converte em um recipiente de vinho e nosso espírito, da mesma maneira, se converte no recipiente de Deus, Deus é nosso vinho divino e espiritual (Jo 2:10; Mt 9:17; Sl 104:15). Contemos este vinho com nosso espírito, assim temos que estar cheios de Deus no espírito. Efésios 6:18 nos exorta que oremos “em todo tempo em espírito” (lit.). A vida da igreja é absolutamente uma questão em nosso espírito. A morada de Deus, a igreja, está em nosso espírito (Ef 2:22). Ver o mistério de Deus concernente a igreja, o Corpo de Cristo, é em espírito. O ser cheios com Deus em Sua economia é em espírito. A vida da igreja é absolutamente uma questão em nosso espírito, assim todos temos que aprender como estar em espírito.

UNIDADE NO ESPÍRITO

Se estivéssemos atentos ao nosso espírito, não discutiríamos, mas seríamos um na igreja. Se seis irmãos se reunirem e se esquecerem de seu espírito, imediatamente discutiram. Os do sul lutaram contra os do norte e os velhos contra os jovens. Mas, louvado seja o Senhor, temos um lugar aonde ir! Temos o meio de chegar. Quando conseguirmos entrar em nosso espírito e o exercitar todos seremos um. A unidade está em nosso espírito. A vida da igreja está em nosso espírito.

UM ESPÍRITO RENOVADOR

Efésios 4:23 nos diz que necessitamos ser renovados no espírito de nossa mente. Normalmente, com as pessoas mundanas, a mente está absolutamente separada de seu espírito. Em Efésios 4:23, contudo, o espírito é um com a mente e chega a ser o espírito da mente. Quando nosso espírito é um com nossa mente, e quando nossa mente está sujeita ao nosso espírito, nosso espírito se torna em um espírito renovador. Vamos sendo renovados dia após dia em tal espírito que é um com nossa mente.

ENTENDIMENTO ESPIRITUAL

Colossenses 1:9-10 revela que quando temos tal espírito renovador em nossa mente, temos o entendimento espiritual. O entender é a função de nossa mente. Nosso entendimento precisa ser espiritual. Pode ser que alguns dos irmãos que são estudantes tenham o entendimento de matemática, da física ou de certa ciência, mas não o entendimento espiritual. Só podemos ter o entendimento espiritual tendo nossa mente sujeita ao nosso espírito. Se sua mente é independente, separada do espírito, é impossível ter o entendimento espiritual. Quando sua mente está sujeita ao espírito, sob o controle de seu espírito, uma com seu espírito, imediatamente o entendimento de sua mente será renovado para ter um entendimento espiritual. Terá a capacidade de entender coisas de uma forma espiritual.

O resultado de ser “cheios do conhecimento de sua vontade em toda sabedoria e inteligência espiritual” (Cl 1:9) é “que andeis como é digno do Senhor, agradando-O em tudo” (Cl 1:10). Quando você tem o entendimento espiritual, pode agradar a Deus. Pode conhecer Sua vontade. Conhecer a vontade de Deus é uma questão do entendimento espiritual. Se sua mentalidade ainda é tão mundana sem ter nada a ver com o espírito, é bastante difícil que entenda a vontade de Deus porque a vontade de Deus é revelada sempre no seu espírito. Sem meus dois olhos, não poderia ver coisas na esfera física. De igual maneira, sem o entendimento espiritual, não posso conhecer a vontade de Deus.

COMUNHÃO DO ESPÍRITO

Em Filipenses 2:1 encontramos a “comunhão do espírito” (lit.). Nossa comunhão na igreja local entre os irmãos e irmãs é algo do espírito. Quando não está no espírito é bastante difícil que alguém tenha comunhão com você. Se estou fora de meu espírito e você vem ter comunhão comigo, é exatamente como se viesse falar com uma vaca. Não pode ter comunhão. Para ter comunhão uns com outros todos necessitamos estar no espírito. Quando estamos no espírito, é maravilhoso. Em 1968 muitos santos foram ao extremo Oriente. Algumas vezes foram frustrados com a linguagem diferente, mas quando os irmãos vinham para eles, ainda sem entender a língua um do outro, havia certo tipo de fluir dentro deles e entre eles. Esta é a comunhão do espírito. A comunhão cristã é uma questão em nosso espírito cristão.

UM ESPÍRITO DE PODER,
DE AMOR E DE UMA MENTE SOBRIA

Segunda de Timóteo 1:7 diz: “Porque não nos tem dado Deus espírito de covardia, mas de poder, de amor e de uma mente sóbria” (lit.). Nosso espírito é o centro de nosso ser. Então temos nossa alma, com três partes, rodeando nosso espírito: nossa mente, emoção e vontade. Deus nos deu um espírito de poder. O poder é uma questão na vontade. Ele também nos deu um espírito de amor, relacionado com a emoção, e um espírito de uma mente sóbria. São mencionados três aspectos acerca do espírito porque o espírito está rodeado com esses três aspectos. Deus nos tem dado tal espírito que é tão poderoso em nossa vontade, tão amoroso em nossa emoção e tão sóbrio em nossa mente.

O SENHOR COM SEU ESPÍRITO

Não devemos esquecer jamais 2 Timóteo 4:22: “O Senhor Jesus Cristo seja com teu espírito”. Se o Senhor Jesus está aqui em nosso espírito, que devemos fazer? Temos que permanecer em nosso espírito todo o tempo. Podemos nos unir ao Senhor porque Ele está precisamente em nosso espírito. Louvado seja o Senhor! Agora podemos localizar o Senhor Jesus. Onde está o Senhor? Aleluia, Ele está em meu espírito! O Senhor Jesus está em nosso espírito!

DEUS, SENHOR
E O PAI DE NOSSO ESPÍRITO

Hebreus 12:9 diz que Deus é “o Pai dos espíritos”. Na margem da versão American Standard em inglês, diz “nossos espíritos”. Deus é o Pai de nosso espírito. Nosso corpo não nasceu Dele, mas nosso espírito. Nosso espírito nasceu de Deus (Jo 3:6). É por isso que Gálatas 4:6 e Romanos 8:15 revelam que se desejamos chamar “Abba, Pai”, temos que fazê-lo em espírito porque Ele é o Pai de nosso espírito. Apocalipse 22:6 diz que o Senhor é “o Deus dos espíritos dos profetas”, e Números 16:22 e 27:16 dizem que o Senhor é o “Deus dos espíritos de toda carne”. Todos estes versículos nos dizem que Deus é o Deus, o Senhor e o Pai de nosso espírito. Assim, temos que conhecer nosso espírito e temos que saber como exercitar nosso espírito, como usar nosso espírito. De outra maneira, não poderemos ter contato com Deus.

VENDO EM ESPÍRITO

Apocalipse 1:10; 4:2; 17:3 e 21:10 usam o termo “em espírito” (lit.). João o apóstolo, na ilha de Patmos, disse quatro vezes que viu algo “em espírito”. Em espírito João viu os sete candelabros de ouro. Em outras palavras, em espírito viu as igrejas locais (1:10). Em espírito viu o trono de Deus (4:2) com todo Seu juízo divino sobre o mundo. Também em espírito, viu a Grande Babilônia (17:3). Finalmente, em espírito ele viu a santa cidade, Nova Jerusalém (21:10). O livro de Apocalipse é composto destas quatro visões. Se desejarmos ver temos que estar em espírito.

Se você está em espírito verá a situação verdadeira. Verá o que é uma igreja local, o que é uma coisa babilônica, o que é o destino, o juízo final deste mundo e o que é a Nova Jerusalém, o Corpo de Cristo. Se deseja entender todas estas coisas com clareza, necessita estar em espírito. Em espírito verá as igrejas locais. Em espírito verá o juízo final, o destino do mundo de hoje. Em espírito verá que Babilônia está caída (17:3, 5; 18:2). Finalmente, em espírito verá que a igreja local é simplesmente uma expressão da Nova Jerusalém. Se estiver em uma igreja local, está em uma expressão da Nova Jerusalém. Todos necessitamos estar em espírito.

DIVIDIR ALMA E O ESPÍRITO

Primeira de Tessalonicenses 5:23 mostra que alma e o espírito não são o mesmo, mas são duas coisas distintas. Hebreus 4:12 revela que o espírito e a alma podem ser divididos, assim como a medula pode ser dividido das juntas. As juntas são os ossos e dentro dos ossos está a medula. A medula está escondida dentro dos ossos, assim como o espírito está escondido dentro da alma. O espírito está tão escondido na alma que necessita ser dividida da alma pela palavra viva e operativa de Deus que é “mais cortante que toda espada de dois fios” (4:12). Às vezes é realmente difícil separar o espírito da alma; assim a Palavra viva é necessária.

O espírito e a alma podem ser divididos porque são duas coisas, duas entidades, dois tipos de substâncias. Apesar de quão escondido esteja a medula dentro do osso, ainda são duas coisas. Apesar de quão escondido esteja nosso espírito dentro da alma, ainda são duas coisas, dois órgãos, dois itens. Temos que aprender como dividir nossa alma de nosso espírito.

MEU ESPÍRITO SE ALEGROU

Em Lucas 1:46-47 Maria diz: “A minha alma engrandece ao Senhor; e meu espírito se alegrou em Deus meu Salvador” (lit.). Primeiramente, nosso espírito se regozija no Senhor, depois nossa alma pode engrandecê-Lo. Os tempos dos verbos nestes dois versículos mostram a ordem: minha alma engrandece (tempo presente) e meu espírito se alegrou (tempo perfeito).

EM UM MESMO ESPÍRITO, COM UMA SÓ ALMA

Filipenses 1:27 diz que estejamos “firmes em um mesmo espírito, combatendo com uma só alma pela fé do evangelho” (lit.). Estar em um mesmo espírito é uma coisa. Estar com uma só alma é outra. Primeiramente, necessitamos estar em um mesmo espírito. Em seguida, todos necessitamos estar com uma só alma. Para estar firmes uns com os outros para a vida da igreja necessitamos estar em um mesmo espírito, mas se alguns irmãos forem pregar juntos o evangelho sem ser de uma só alma, terão muitos problemas. Muitos irmãos jovens no recinto universitário são realmente um no espírito, estando firmes pela vida da igreja. Mas quando vão pregar o evangelho, às vezes diferem na alma. Necessitamos não só estar em um mesmo espírito, mas também com uma só alma. “Em um mesmo espírito” é para a posição e “com uma só alma” é para agir, trabalhar, lutar juntos.

UM ESPÍRITO COM O SENHOR

Louvado seja o Senhor por 1 Coríntios 6:17: “Porque aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele”. O Senhor é o espírito vivificante, e temos um espírito tão maravilhoso. O Senhor está dentro de nosso espírito. Assim, somos um espírito com o Senhor. “O último Adão se tornou espírito vivificante” (lit., 1Co 15:45). “Porque o Senhor é o espírito” (2Co 3:17). “O Senhor Jesus Cristo seja com teu espírito” (2Tm 4:22). “Porque aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele” (1Co 6:17). Gosto destes quatro versículos e nunca poderia esquecê-los. O Senhor é o espírito vivificante, e nós temos um espírito tão maravilhoso. Hoje somos simplesmente um espírito com o Senhor, porque estes dois espíritos estão mesclados juntos como um só espírito.




  7

 

A DIFERENÇA ENTRE O ESPÍRITO E A ALMA

 Leitura bíblica: 1Co 2:14-15; 1Ts 5:23; Hb 4:12; Lc 1:46-47;

Mt 10:38-39; 16:24-26; Mc 8:35-36; Lc 9:23-25; Jo 12:25

Para conhecer a nosso espírito humano devemos ver a diferença entre o espírito e a alma. A passagem mais importante que nos mostra a diferença entre o espírito e a alma é 1 Coríntios 2:14-15: “Mas o homem almático não recebe as coisas que são do Espírito de Deus, porque para ele são loucura, e não as pode entender, porque se discernem espiritualmente. Por outro lado, o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele não é julgado por ninguém” (lit.).

UM HOMEM ALMÁTICO

O versículo 14 nos diz que o homem almático não recebe as coisas do Espírito de Deus. O homem almático nunca pode conhecer nada de Deus. Não é possível que o homem almático conheça Deus, mas no versículo seguinte diz que o espírito, o espírito humano, sim, conhece. Com o homem almático não existe a possibilidade de conhecer Deus, mas com o homem espiritual existe a possibilidade completa. Assim, por estes dois versículos pode-se ver a diferença entre alma e o espírito. Se você é almático nunca pode conhecer nada de Deus. Se você é homem do espírito, então conhece as coisas de Deus. Por esta passagem podemos ver a diferença entre o espírito e a alma, contudo, muitos cristãos, hoje, ainda assim insistem em dizer que o espírito e a alma são termos sinônimos. Não obstante, 1 Coríntios 2:14-15 mostra que com a alma não existe a possibilidade de conhecer nada de Deus, mas com o espírito há toda possibilidade.

Se você é almático, simplesmente está em trevas em relação às coisas de Deus. Tem que ser um homem do espírito. Então conhecerá as coisas de Deus. Estes versículos revelam uma grande diferença entre alma e o espírito. Não há possibilidade de que conheçamos nada de Deus se somos homens da alma. Que é um homem almático? Um almático é um homem que vive pela alma e na alma. A diferença entre ser da alma e ser espiritual é a própria diferença entre alma e o espírito. Não podemos dizer que o espírito é igual a alma. Se dissermos isto, estamos em trevas. Todos devemos entender com muita clareza que o espírito é absolutamente distinto da alma. São os ouvidos iguais aos olhos? O olho e o ouvido não são sinônimos. Não se pode dizer isto. Os olhos são os olhos e os ouvidos são os ouvidos. Estes são dois órgãos diferentes, duas partes diferentes de nosso ser. De igual maneira, alma não é o espírito. O ensinamento da dicotomia, de que o homem é de duas partes, não é bíblico em absoluto.

Em segundo lugar, temos 1 Tessalonicenses 5:23. Devemos nos abrir a Palavra e lê-la. Não ouça a opinião de nenhum homem. Não ouça a palavra de nenhum homem. Volte-se a Palavra de Deus e leia: “E o mesmo Deus de paz vos santifique por completo, e todo vosso ser espírito e alma e corpo, seja guardado irrepreensível para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”. Este versículo claramente menciona que temos três partes: o espírito e a alma e o corpo. Duas conjunções conectam três coisas. Não há base para dizer que o espírito é alma. Todos devem abandonar o ensinamento humano da dicotomia e se voltar a Palavra de Deus.

Em 1954, quando estávamos em Hong Kong, tivemos uma conferência. Um irmão americano, que era missionário no Japão, veio a Hong Kong para assistir a conferência. Depois da conferência ele veio e me disse que ficou muito impressionado com a conferência, o ambiente e as mensagens, mas que não estava de acordo com que o espírito fosse diferente da alma. Para ele, espírito e alma são termos sinônimos.
Então lhe perguntei sobre 1 Tessalonicenses 5:23: espírito e alma e corpo. Disse a ele que se dissesse que o espírito era alma então eu diria que alma era o corpo. De qualquer forma, ele disse o que quer que diga 1 Tessalonicenses 5:23, não admitiria que o espírito e a alma são duas partes diferentes de nosso ser.

JUNTAS E MEDULA

Hebreus 4:12 diz: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante que toda espada de dois gumes; e penetra até o ponto de dividir alma e o espírito, as juntas e as medulas, e discerne os pensamentos e as intenções do coração”. A palavra divide o espírito da alma, bem como a espada divide a medula das juntas as quais são os ossos. A medula não é igual aos ossos. A medula é algo dentro dos ossos, as juntas. No mesmo princípio o espírito é algo dentro da alma. É fácil ver os ossos. Mas não é fácil perceber a medula. Há que romper os ossos para chegar a medula. Da mesma maneira, o espírito está sob a coberta da alma, mas é absolutamente distinto da alma.

Lucas 1:46-47 diz: “Então Maria disse: a minha alma engrandece ao Senhor e meu espírito se alegrou em Deus meu Salvador” (lit.). Minha alma engrandece e meu espírito se alegrou. Estes versículos claramente mostram de novo o caráter singular da alma e do espírito. Primeiro o espírito se alegra e depois a engrandece ao Senhor. Outra vez, se desejamos conhecer nosso espírito, temos que ver a diferença entre o espírito e a alma.

NEGANDO A ALMA

No ensinamento do Novo Testamento, especialmente nos Evangelhos, sempre nos é dito que temos que negar a alma, perder a alma, mas nunca nos diz que temos que negar o espírito. Nas Epístolas, sempre se diz que temos que andar conforme o espírito, viver no espírito e agir pelo espírito. Nos Evangelhos temos o negar da alma; depois nas Epístolas encontramos o andar conforme o espírito (Rm 8:4). O Novo Testamento não nos diz que andemos, vivamos e ajamos na alma.

Mateus 10:38-39 diz: “E o que não toma sua cruz e segue após mim, não é digno de mim. O que acha sua alma, (a palavra aqui em grego é ‘psiquê’, significando alma) a perderá; e o que perde sua alma por causa de mim, a achará" (lit.). Depois Mateus 16:24-26 diz: “Então Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quer vir apos mim, negue-se a si mesmo, e tome sua cruz, e siga-me. Porque todo o que quer salvar sua alma, a perderá, e todo o que perda sua alma por causa de mim, a achará. Porque que aproveitará ao homem, se ganhar todo o mundo, e perder sua alma? Ou que recompensa dará o homem por sua alma?” Deve-se negar a alma.

Então Marcos 8:35-36 diz: “Porque todo o que quer salvar sua alma, a perderá; e todo o que perda sua alma por causa de mim e do evangelho, a salvará. Porque que aproveitará ao homem se ganhar todo o mundo e perder sua alma?” Lucas 9:24-25 diz: “Porque todo o que quer salvar sua alma a perderá, e todo o que perda sua alma por causa de mim, este a salvará. Pois, que aproveita a um homem, se ganhar todo o mundo, e se destrói ou se perder a si mesmo?” (lit.). Em Mateus diz “perde sua alma”. Mas aqui diz “se perde a si mesmo”. Isso significa negar a alma.

João 12:25 diz: “O que ama sua alma, a perderá e o que aborrece sua alma neste mundo, a guardará para vida eterna” (lit.). Em todos os quatro Evangelhos o Senhor nos disse uma e outra vez que temos que perder alma, negar a alma, mas não se pode encontrar nenhuma palavra que diga que devemos perder o espírito ou negar o espírito. Pelo contrário, as Epístolas nos exortam a andar conforme o espírito, a agir no espírito e a orar no espírito (Rm 8:4; 1:9; Ef 6:18). Nos ensinamentos dos Evangelhos nos diz que neguemos a alma, que percamos a alma, mas nas Epístolas temos que atender ao espírito, andar no espírito e temos que agir, orar no espírito. Assim, há uma diferença muito grande entre alma e o espírito.

8

O ESPÍRITO COM AS FACULDADES DA ALMA

Leitura bíblica: Mt 16:24-26; Lc 9:23-25; Lv 11:43-44; 1Co 2:14; Rm 8:6;

1Co 2:11; 2Co 7:13b; At 19:21

O ESPÍRITO E A ALMA

Até aqui, temos visto que o espírito e a alma são duas partes distintas do ser do homem (1Ts 5:23; Hb 4:12; Lc 1:46-47). O corpo é a parte mais exterior do homem e seu espírito é sua parte mais profunda (Jo 7:38). Entre estas duas partes está a alma no meio. Um ser humano é tripartido, de três partes: o espírito, alma e o corpo. A Bíblia também revela que alma é algo bastante distinta do espírito.

Em 1 Coríntios 2:14 nos diz que “o homem almático não recebe as coisas que são do Espírito de Deus, porque para ele são loucura, e não as pode entender porque se discernem espiritualmente” (lit.).  A alma não pode entender as coisas de Deus. É o espírito que conhece que discerne as coisas de Deus. Estas duas partes dentro de nós são absolutamente diferentes. Não podemos entender as coisas de Deus meramente pela alma porque a alma em si tem a capacidade de conhecer as coisas psicológicas, e não as coisas espirituais. A alma não é capaz de conhecer as coisas de Deus, mas é o espírito o que conhece as coisas de Deus. Muitos cristãos não sabem a diferença entre o espírito e a alma. Alguns cristãos até insistem em dizer que o espírito e a alma são sinônimos, mas nas Escrituras temos que o espírito e a alma são duas entidades absolutamente diferentes e distintas.

NEGANDO A ALMA

Mateus 16:24-26 nos mostra que a é algo que devemos rejeitar e negar. “Então Jesus disse a seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome sua cruz e siga-me” (v. 24). Há que negar, renunciar e rejeitar o eu. “Porque todo o que quer salvar sua alma a perderá; e todo o que perder sua alma por causa de mim a achará” (lit.v. 25). Se você ganha todo o mundo e perde sua alma, qual é o proveito?

A ALMA SENDO O EU

Lucas 9:23-25 diz: “Dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, a si mesmo se negue, dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Pois quem quiser salvar a sua vida perdê-la-á; quem perder a vida por minha causa, esse a salvará. Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se vier a perder-se ou a causar dano a si mesmo?” (lit.). Em Mateus diz “perder sua alma” (16:26). Em Lucas diz “se perde a si mesmo” (9:25). Isto prova que a alma é o eu.
O Velho Testamento também nos diz claramente que a alma é o eu. Levítico 11:43 diz: “Não façais a vossa alma abominável por nenhum réptil que se arrasta, nem neles vos contamineis, para não serdes imundos por eles.” (lit.). Depois Levítico 11:44b diz: “Tampouco os contamineis a vós mesmos com nenhum animal que se arrasta sobre a terra” (lit.). “Vós mesmos” no versículo 44 é “vossas almas” no versículo 43. O Senhor nos disse claramente que temos que negar a alma. O homem almático não pode receber as coisas do Espírito de Deus, por isso temos que abandonar, rejeitar e negar a alma.

NEGANDO A MENTE, EMOÇÃO E VONTADE

A alma é composta de três partes: a mente, a emoção e a vontade (veja A Economia de Deus, pp. 83-90). Se negar a sua mente, sua emoção e sua vontade não ficam mais nada, se não o espírito. O eu já não estará. Abandonar sua mente, emoção e vontade simplesmente significa abandonar a si mesmo. Negar a si mesmo é negar seu próprio pensamento, sua opinião, sua ideia, seu conceito, seu amor, seu desejo, sua vontade, sua decisão e sua seleção. Negar tudo isso significa negar o eu.

Um homem da mente é um almático. Um homem da emoção é um almático. Um homem da vontade é um almático. Como você se classifica? É homem da mente, da emoção ou da vontade? O irmão Watchman Nee uma vez nos disse, como exemplo, que se uma pessoa caminhar diretamente até uma parede, a primeira parte de seu corpo que baterá na parede será seu nariz, a parte proeminente. Se você é um homem da emoção, em qualquer coisa sua emoção “primeiro baterá na parede”. Se você é homem da mente, sua mente vem primeiro. Se você é homem da vontade, sua vontade vem primeiro. Quase todas as irmãs são proeminentes na emoção e a maioria dos irmãos é proeminente na mente. Com alguns de nós a vontade é muito proeminente. Temos que admitir que a maior parte do tempo somos pessoas da alma porque somos emocionais, pensativos e voluntariosos. Temos que aprender a lição de negar o eu, a alma com sua emoção, mente e vontade. Negar o eu é negar a emoção, mente e vontade. Depois que negamos o eu, temos o espírito. Se negarmos a emoção, a mente e a vontade, damos a oportunidade, o terreno, ao espírito.

PRATICANDO O NEGAR O EU

Se você negar seu pensamento natural, o espírito por dentro se levantará. Devido estarmos tanto na alma, na mente, emoção e vontade, nosso espírito humano não tem a oportunidade, o terreno, de fazer nada. Devemos praticar continuamente negar nossa mente, nossa emoção e nossa vontade. Quando amo tanto um irmão, isso pode ser amor natural. Se deixo esse amor, meu espírito terá a oportunidade de expressar algo do Senhor. Se renuncio algo em minha alma então meu espírito expressará algo do Senhor. É por isto que o Senhor nos diz que temos que negar-nos a nós mesmos. Temos que negar a nossa alma, perder nossa alma porque nós, os regenerados, temos outra parte, uma parte mais profunda, que é o espírito vivificado e regenerado que tem o Espírito Santo de Deus residindo nele. Temos uma parte tão maravilhosa de nosso ser, uma parte espiritual, uma parte vivente, uma parte vivificada, mas não a conhecemos e não lhe damos oportunidade nem terreno de fazer nada.

Se você não está alegre com certo irmão, é simplesmente porque está no eu. Se se nega a si mesmo amará muitíssimo a esse irmão. Em outras ocasiões, contudo, você ama tanto a certos irmãos, simplesmente porque está na emoção, na alma. Se você negar sua emoção, ou seja, se negar seu eu, seu amor por esse irmão seria transformado da alma para o espírito. A fim de experimentar a vida, a lição para aprender hoje como cristãos é aprender a como negar a alma. A alma é o eu e o eu é composto de três coisas: a mente, a emoção e a vontade. Negar a alma simplesmente significa negar a mente, a emoção e a vontade.

VIVENDO NO ESPÍRITO

Devemos viver no espírito. Gálatas 2:20 diz: “...já não vivo eu”. Este é o eu; o eu é a e a alma com suas três partes. “Já não vivo eu” significa já não vivem a mente, a emoção e a vontade, mas “vive Cristo em mim” (Gl 2:20). Cristo vive em mim, em meu espírito (2Tm 4:22). Temos que aprender como negar o eu, a alma, e viver por Cristo no espírito.

A VIDA E AS FACULDADES DA ALMA

Pode ser que alguns pensem que se negamos a alma, não poderemos viver. Mas devemos compreender que há uma diferença entre a vida da alma e as faculdades da alma. A vida da alma é uma coisa, e as faculdades da alma é outra. Uma ilustração nos pode ajudar a ver esta diferença. Eu conhecia um casal na China. O irmão era tão espiritual e a irmã, como esposa, era muito submissa. Cada vez que fomos a sua casa ou nos reunimos com eles, sentíamos que o esposo era a vida da esposa. A esposa tinha sua própria vida, mas renunciou sua própria vida e tomou seu esposo como a vida. Ela nunca dizia nada por sua própria conta. Ela sempre dizia algo conforme seu esposo. Se perguntássemos: “Irmã, você gosta de piano?” Ela dizia: “Meu esposo gosta”. Você gosta do salão de reuniões? “Ele gosta do salão de reunião?” Dizia mais: “Meu esposo diz que é maravilhoso”. Com ela sempre era “meu esposo, meu esposo”, contudo ela falava. Ela renunciou sua vida e tomou seu esposo como a vida, mas ainda usava as faculdades de sua alma.

Nós, irmãos, sempre pensamos que essa irmã foi maravilhosa porque ela sempre tomou seu esposo como sua vida. Simplesmente perdeu sua vida própria. Ela renunciou sua própria vida, mas ainda usava suas faculdades. Ela usava ainda sua mente, sua emoção e sua vontade, mas deixou sua própria vida e tomou outra como sua vida.

REJEITANDO A VIDA NATURAL

A vida natural, a vida da alma, foi crucificada na cruz (Gl 2:20). Agora devemos tomar o Senhor como nossa vida. Temos que deixar a vida natural, a vida da alma e tomar o Senhor no espírito como nossa vida. Isto não quer dizer, contudo, que devemos renunciar as faculdades de nossa alma, mas a vida da alma. Todas as faculdades de nossa alma ainda permanecem como os órgãos que tem de ser usados pelo Senhor no espírito.

UM ENTENDIMENTO ELEVADO

E quanto mais você é um com o Senhor no espírito, mais espiritual é, e mais aguçada será em sua mente. Antes de tomar o Senhor como vida, você é bastante lento em seu pensar, mas se se nega a si mesmo e toma o Senhor como sua vida será muito penetrante em seu pensar. Na China, um grande número de irmãs idosas nunca haviam recebido nenhuma educação, mas amavam o Senhor ao máximo e sabiam como renunciar a si mesmas, tomando o Senhor como vida. Depois de dois ou três anos elas ficaram muito aguçadas em suas mente, em seu entendimento, especialmente nas coisas do Senhor. Elas se converteram em especialistas. Mas com os que não têm muito amor pelo Senhor, ainda que tenha um PhD, com eles não encontramos muita compreensão das coisas espirituais. Quando fala com eles acerca das coisas do Senhor, dizem: “Que é isto? Não podem compreender”.

UMA EMOÇÃO ESPIRITUAL

É o mesmo com a emoção. Não pense que o Senhor exige que renuncie o órgão, a faculdade de sua emoção. O Senhor requer que você renuncie a vida da emoção, mas tem que exercitar a emoção mais e mais. Se você ama o Senhor e em realidade está cheio do Espírito do Senhor, será muito emotivo. Um homem que não é emotivo nunca pode ser espiritual. Uma pessoa espiritual é uma pessoa bem emotiva. Se você nunca sabe como amar, se nunca sabe como chorar, se nunca sabe como estar alegre e se nunca sabe como é o sentimento de lástima, temo que você não seja cristão.

A pessoa mais espiritual é a mais emotiva, mas sua emoção está sob o controle do espírito. O Apóstolo Paulo era muito emotivo. Ele nos diz que às vezes chorou com lágrimas (Fl 3:18; At 20:19, 31). Ele era muito terno em sentimento, em amor, em misericórdia e em compaixão. Ele era terno, mas não era emotivo naturalmente. Sua emoção era uma emoção espiritual sob o controle do espírito.

UMA VONTADE FORTE E RENOVADA

Uma pessoa espiritual, por um lado, é muito aguçado na mente e emoção e por outro, tão forte na vontade. Nenhuma pessoa espiritual é como uma “água viva”, sem espinha. As pessoas naturalmente emotivas são como “águas vivas”. Todas as pessoas emocionais espiritualmente são muito ternas em suas emoções e fortes na vontade. E quanto mais você estiver no espírito, mais forte será na vontade.

FACULDADES PARA EXPRESSAR O SENHOR

Uma pessoa espiritual é uma pessoa que é muito penetrante no entendimento, muito emotivo em seu amor e afeição e muito forte em sua vontade. As faculdades da alma são órgãos usados pelo espírito para expressar o Senhor. O Senhor é tão sábio e cheio de pensamento (Sl 139:17-18a). Uma pessoa espiritual não é uma pessoa que não pensa. E quanto mais espiritual você for, mais pensativo é no espírito. Posso testificar que quanto mais estou no espírito, mais rico sou em pensamento. Mas cada vez que estou no eu, sou pobre em pensamento.

Devemos compreender, portanto, que não são a mente, emoção e vontade as que têm que ser destruídas. É a vida da alma a que devemos renunciar. A esta vida natural, a vida da alma, já foi dada a morte na cruz (Gl 2:20; Rm 6:6). Agora você tem que tomar Cristo, seu Esposo (2Co 11:2), como sua vida. Você deve tomar a vida divina como sua vida, mas as faculdades da alma ainda permanecem como órgãos para ser usadas por seu espírito a fim de expressar o próprio Senhor.

O ESPÍRITO SENDO CRUCIAL COMO A FONTE

Pode ser que dois irmãos sejam muito pensativos. Um, contudo, é pensativo naturalmente, mas o outro é pensativo espiritualmente. Com o primeiro irmão, não sentimos nada do Senhor. Mas com o outro irmão, cada vez que ele fala, sentimos algo do espírito, algo do Senhor. Suponhamos que estes dois irmãos estão ministrando. Com um irmão não sentimos nada do Senhor, mas o outro irmão é tão rico em seu pensamento, e ao mesmo tempo tão forte, tão fresco em seu espírito. Enquanto está expressando algo através de seu pensamento, nos damos conta das riquezas e o frescor do Senhor. Um irmão é uma pessoa só na mente, enquanto que o outro está no espírito através da mente. Com o primeiro, a fonte é a mente. Com o segundo, a fonte não é a mente, mas o Senhor no espírito. Algo sai do Senhor, no espírito através da mente.

A MENTE DO ESPÍRITO

Romanos 8:6 diz: “Porque a mente posta na carne é morte, mas a mente posta no espírito é vida e paz” (lit.). Nossa mente é uma parte da alma. Poderia estar com a carne e chegar a ser uma mente da carne, o com o espírito e chegar a ser a mente do espírito. Isto significa que a mente será usada pelo o espírito, sob o controle do espírito e dirigida pelo espírito. Esta é a mente do espírito. A mente não é a vida da alma, mas uma das faculdades da alma para ser usada, controlada e dirigida pelo espírito.

SOB O CONTROLE DO ESPÍRITO

Devemos aprender a lição de negar a mente, a emoção e a vontade naturais e de colocá-las sob o controle do espírito. Negamos a vida da alma e tomamos o Senhor como nossa vida no espírito para que controle e dirija todas as partes da alma a fim de que possam ser usadas para expressar o Senhor.

CONHECENDO, ALEGRANDO-SE E EXPRESSANDO-SE NO ESPÍRITO

Primeira de Coríntios 2:11 diz: “Porque qual dos homens sabe as coisas do homem, mas do que o espírito do homem que está nele?” O espírito do homem sabe por meio da mente. A mente é um órgão que é usado pelo espírito para saber algo. Então 2 Coríntios 7:13 diz: “Mas muito mais nos alegramos pela alegria de Tito, que foi refrescado em seu espírito por todos vós” (lit.). O espírito de Tito foi refrescado com gozo. Isto mostra que o espírito se alegra ou se regozija através das emoções. O espírito conhece algo por meio da mente e se alegra através da emoção. Depois Atos 19:21 diz: “Passadas estas coisas, Paulo propôs em espírito ir a Jerusalém”. Isto significa que Paulo exercitou sua vontade no espírito. Ele decidiu no espírito fazer uma viagem. Isto não significa que ele era um homem da vontade, mas um homem espiritual que exercitava sua vontade. Paulo era um homem que de verdade estava no espírito com as faculdades elevadas da alma. Seus pensamentos, emoções e decisões eram todas no espírito.

TOMANDO O SENHOR COMO VIDA, O UNGIR INTERIOR

Como cristãos temos que rejeitar nossa mente, emoção e vontade. Devemos rejeitar-nos a nós mesmos e tomar o Senhor Jesus como nossa vida. Fazemos isto voltando nosso espírito e percebendo o que está em nosso espírito. Suponhamos que um irmão vem falar com você. Enquanto você ouve, deve negar a si mesmo. Deve rejeitar seu pensamento natural, sua emoção e sua vontade. Tem que tomar o Senhor Jesus como sua vida nesta questão particular voltando-se ao seu espírito, sua parte mais profunda, para sentimento do que está ali. Esta é a maneira correta de nos comportar como cristãos, mas a maioria de nós não nos comportamos desta forma. Sempre que um irmão vem falar conosco, exercitamos nossa mente independente do espírito. Às vezes nos esquecemos do Senhor Jesus e de que temos um espírito. A maneira como um cristão normal deve se comportar, contudo, é negar sempre a mente, a emoção e a vontade naturais e tomar o Senhor Jesus como sua vida. Em tudo devemos voltar à parte mais profunda de nosso ser para o sentimento do que está ali.

Se você faz isto, seu espírito, onde mora o espírito Santo, se levantará para te impressionar com algo. Então terá um entendimento claro. Entenderá esse irmão completamente. Seu espírito se levantará e brotará e um pouco de água viva fluirá para outros. Devemos aprender continuamente a estar atentos ao ungir interior, a indicação interior, o sentimento interior, o sentimento interior, a consciência interior. Se estivermos de acordo com este ungir, seremos pessoas que andam no espírito. Então todas as faculdades de nossa alma serão renovadas, transformadas, reavivadas, fortalecidas e melhoradas. A vida da alma será crucificada e renunciada, mas as faculdades da alma serão enobrecidas.

SERVINDO PELO EXERCÍCIO DO ESPÍRITO

Quando vier a uma reunião da igreja, não exercite sua mente, mas seu espírito para o sentimento a vida interior. Quando estiver a ponto de pedir um hino ou orar, não considere, mas sinta com o espírito. Quando se preparar para falar, não considere o que vai dizer ou o que tem para dizer, mas sinta qual é a mente do Senhor, não o que tem que dizer. Há duas maneiras de se reunir: uma maneira é na alma e a outra no espírito.

Quando vem a reunião, às vezes está muito alegre, mas talvez amanhã venha triste. Tem que deixar todos estes sentimentos emocionais fora da porta. Quando vem a reunião, deve exercitar seu espírito para o sentimento de algo dentro de seu espírito. Então deve expressar algo desde seu espírito apesar de seus sentimentos. Deve aprender a lição de servir ao Senhor não exercitando a mente, emoção ou vontade, mas exercitando o espírito para sentimento de algo do Senhor. Esta é a maneira correta e normal para que andemos e sirvamos no Senhor e para o Senhor.





9

CONHECENDO O ESPÍRITO HUMANO

Leitura bíblica: Rm 8:6, 4-5

O SENTIMENTO DO ESPÍRITO

Conhecer o espírito é conhecê-lo por meio do sentimento do espírito. Até agora, ninguém jamais viu a eletricidade. A luz de uma lâmpada não é a eletricidade, mas uma expressão, um sinal da eletricidade. Podemos conhecer a eletricidade por seus sinais e expressões. Também, ninguém jamais viu a vida física do ser de uma pessoa, mas podemos conhecer a vida física por sua expressão e por certos sentidos. No mesmo princípio, o espírito é muito misterioso. Não o podemos ver, mas podemos senti-lo. Não podemos ver a eletricidade, mas quando a tocamos podemos sentir. De igual maneira, podemos conhecer o espírito sentindo o espírito. Sentimento do espírito é a forma de conhecer o espírito.

PECADO EM NOSSOS MEMBROS

Devido à queda, o corpo do homem foi corrompido pelo pecado. O corpo físico mais o pecado são a carne. Deus criou um corpo para o homem, mas Deus não criou a carne pecaminosa. O que Deus criou foi um corpo puro. Quando Adão comeu do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, ingeriu dentro de seu corpo. Sabemos que foi ingerido dentro de seu corpo porque o comeu (Gn 3:6). Qualquer coisa que comamos é ingerida dentro de nosso corpo. Em natureza, a árvore da ciência do bem e do mal é pecado, devido ela ser a árvore não só do bem, mas do mal. Já que Adão recebeu esta árvore dentro de seu corpo, Romanos 7 nos diz claramente que o pecado está nos membros do corpo (vs. 20, 23). O pecado está nos membros do corpo porque o pecado entrou no corpo; portanto, o corpo está corrompido. Depois de ser corrompido o corpo se converteu em carne. Todas as concupiscências carnais estão no corpo.

A MENTE, A CARNE E O ESPÍRITO

Romanos 8:6 diz: “Porque a mente posta na carne é morte, mas a mente posta no espírito é vida e paz” (lit.). A mente é a parte principal da alma e a alma é nosso próprio ser, nosso eu. O corpo não é o eu nem nosso ser, mas um órgão exterior. O espírito não é o eu nem nosso ser tampouco, mas um órgão interior. Somos um ser, um ser humano, uma alma. A alma é um ser com dos órgãos: o órgão exterior do corpo e o órgão interior do espírito. Nosso ser, nosso eu, é alma. É por isto que a Escritura revela que alma é o eu em Mateus 16:24-26 e Lucas 9:23-25 e que um ser humano, uma pessoa, que se chama uma alma (lit., Ex 1:5). Se chamar você um corpo, isso é errado. Se chamar um espírito, isto também é incorreto. Um homem não é um corpo nem um espírito, mas uma alma. Alma é nosso eu, nosso ser, e a mente é a parte principal de nosso ser a qual representa nosso eu. A mente representa o eu, o corpo é a carne e nosso espírito contêm o espírito (Rm 8:16). Em nosso espírito está o Deus Triúno (Ef 4:6; Gl 2:20; Jo 14:17) como o espírito vivificante todo-inclusivo (1Co 15:45; 2Co 3:17; 2Tm 4:22;1Co 6:17). Dentro de nós estão estes três partidos: Satanás como pecado está em nossa carne (Rm 7:17,18,20), Deus está em nosso espírito e o eu está em nossa alma que está representada por nossa mente. Pôr a mente na carne significa ficar do lado da carne, cooperar com a carne e posicionar-se ao lado da carne. Pôr a mente na carne é morte. Pôr a mente no espírito significa ficar na parte do espírito, cooperar com o espírito e estar a favor do espírito. Pôr a mente no espírito é vida e paz.

DISCERNIMENTO POR MEIO DO SENTIMENTO

A maneira de conhecer vida e paz é sentimento vida e paz. Quando você se coloca do lado do espírito, coopera com o espírito, anda no espírito e age pelo espírito, e sente vida e paz.
Pode ser que um exemplo sirva de ajuda para ilustrar o que é o sentimento de vida. Quando era criança, fui a uma festa. Na mesa havia dos tipos de pó branco e fino: açúcar refinado e sal refinado. Pus muito sal em certa comida, pensando que estava usando açúcar. Quando pus a comida em minha boca sofri. Senti que o pó que utilizei não foi açúcar, mas sal. Anda que meus olhos não pudessem discernir a diferença entre o açúcar e o sal, meu paladar pode. Esta é a forma de discernir o espírito: por meio de sentimento.

O SENTIMENTO DA VIDA

O primeiro aspecto do sentimento da vida é a satisfação. Como você sabe que há vida dentro? Há satisfação. Está satisfeito e sente a satisfação. Então depois da satisfação sente o fortalecimento. Quando você se coloca do lado do espírito, também se sente refrescado. Sentimento do regar é outro aspecto do sentimento da vida. Uma pessoa que põe sua mente no espírito também sente iluminação e o ungir (1 Jo 2:20, 27). O sentimento da vida é o sentimento da satisfação, o fortalecimento, o frescor, o regar, a iluminação e o ungir. Quando você sente todas estas coisas profundamente, isto é o sentimento da vida e este sentimento prova que anda conforme o espírito.

O SENTIMENTO DA PAZ

Pôr a mente no espírito não só é vida, mas paz. A paz mencionada em Romanos 8:6 não é a paz em nossas circunstâncias exteriores, mas a paz dentro de nós. O sentimento da paz é primeiramente a sensação de tranquilidade ou comodidade. Então depois disto há harmonia. Não há luta nem batalha por dentro. O descanso, o gozo e a liberdade estão incluídos também no sentimento da paz. Quando você sente paz, sente comodidade, harmonia, descanso, gozo e liberdade. Estes são os diferentes aspectos do sentimento da paz. Se sentimos estas coisas dentro de nós, isto prova que andamos no espírito.

O SENTIMENTO DE MORTE

Sempre que você se colocar do lado da carne o resultado é a morte. Você reconhece a morte porque pode senti-la. Você tem o sentimento, a consciência de morte. Quando age conforme a carne ou, conforme seu eu, sente insatisfação e vazio. Algo por dentro de você está debilitando também. Isto prova que não está no espírito, mas na carne ou na alma. A velhice, sequidão, obscuridade e depressão são outros aspectos do sentimento de morte em contraste com o sentimento da vida. A contenda, a discórdia, o mal-estar, a inquietação, a dor, a escravidão e o pesar são aspectos do sentimento de morte em contraste com o sentimento da paz. Quando você tem todos estes tipos de sentimentos, então sabe onde está: está em morte. Não dispute nem arrazoe. Ainda que o que está fazendo é bom e “santo” deve comprová-lo com seu sentimento interior. Você tem tranquilidade, harmonia, descanso, comodidade, gozo e liberdade?

A VIDA CRISTÃ CONFORME O ESPÍRITO

Se você tem estas indicações e sentimentos interiores positivos, isto prova que está no espírito. Se não tem este tipo de sentimentos, apesar de quão santa, quão boa e quão bíblica considere que seja uma linha de ação, você não está no espírito, mas no eu, na carne. A vida cristã é uma vida absolutamente conforme o espírito. Não é conforme a nenhuma razão, nenhum ensinamento ou nenhuma norma de certo ou errado, de bom ou mau, de mundano ou santo. Nossa vida cristã é conforme o espírito e conhecemos o espírito por meio do sentimento interior de vida e paz.
Se eu venho a um lugar para ministrar a Palavra, é bastante possível que eu fale em meu eu e por meu eu. Se falo a palavra de Deus e a falo para Deus, mas falo por mim, sentirei o vazio, a insatisfação e a sequidão por dentro. O andar cristão, a vida cristã, a atividade cristã não é conforme a norma de bom ou mau, mas absolutamente conforme o espírito. Se conhecemos esta coisa e formos governados e controlados por ela, o Senhor transformará nosso ser interior e nossa vida diária.

O SENTIMENTO INTERIOR DE VIDA E PAZ

Não dispute você com o sentimento interior de vida e paz. Não diga que algo é bom, bíblico ou santo. Não raciocine e não argumente que o que está fazendo é para o evangelho ou para a igreja. A prova é você tem a sensação interior de vida e paz? E quanto mais raciocinar com este sentimento, e mais disputar, mais morte sentirá dentro de você. Podemos conhecer o espírito simplesmente por meio de este sentimento interior. Se desejamos diferenciar o espírito e a alma, devemos negar todo o tempo a mente racional, a emoção e a vontade e atender o sentimento interior.

                                                                  
  

10

EXERCITANDO O ESPÍRITO

Leitura bíblica: 1Tm 4:7; 2Tm 1:7; 4:22

Primeira de Timóteo 4:7 diz: “Exercita-te para a piedade”. Segunda de Timóteo 1:7 nos diz: “Porque Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de domínio próprio”. Então 2 Timóteo 4:22 diz: “O Senhor Jesus Cristo seja com teu espírito”. Quando colocamos juntos todos estes versículos, podemos ver que o exercício para a piedade depende do exercício do espírito, onde está o Senhor. Se você tem a intenção de exercitar-se a si mesmo para a piedade, tem que saber como exercitar seu espírito porque o próprio Deus está em seu espírito. Estes versículos são a base bíblica para o exercício do espírito.

ANDANDO CONFORME O ESPÍRITO

O andar cristão é um andar conforme o espírito (Rm 8:4), que é nosso espírito mesclado com o espírito Santo (1Co 6:17). Temos visto que podemos conhecer este espírito sentindo os diferentes aspectos da vida, da paz ou da morte. Tudo o que fazemos, tudo o que dissermos, temos que fazê-lo e dizê-lo pelo espírito, e não pela alma nem pela carne. Em tudo o que fazemos, devemos voltar-nos ao Senhor. Pode ser que alguns cristãos pensem que voltar-se ao Senhor significa voltar-se aos céus, mas voltar-nos ao Senhor em nossa experiência é voltar-nos ao espírito porque o Senhor está em nosso espírito. Isto significa pôr nossa mente no espírito (lit., Rm 8:6). Pôr nossa mente no espírito significa voltar-nos ao Senhor. Devemos ficar longe da carne, do arrazoamento, da enfermidade e dos problemas. Até mesmo o conhecimento bíblico e seu ensinamento poderão ser uma distração da qual nos devemos apartar. Dia após dia temos sido distraídos de nosso espírito por muitas coisas exteriores.

Amar a esposa não é mau, mas bom. Considerar os ensinamentos bíblicos e buscar conhecimento é bom, mas em nosso amor, consideração e busca, geralmente somos independentes do Senhor. Colocamos nossa mente, que representa nosso eu, em tantas outras coisas em vez de no Senhor mesmo em nosso espírito. Geralmente, agimos ou pela alma ou pela carne, e não pelo espírito. Todos devemos aprender esta prática: passe o que passar, devemos voltar-nos ao Senhor. Isto quer dizer voltar-nos ao espírito. Por um lado, nego minha mente, minha emoção e minha vontade naturais e independentes, que é meu eu. Por outro, aprendo a sentimento do espírito. Só ajo quando sinto que tenho a vida e a paz interiores. Fazer isto é exercitar o espírito. Todos devemos praticar o andar conforme o espírito desta forma.

Romanos 7 nos mostra uma pessoa tentando ser boa, tentando de guardar a lei de Deus. A lei de Deus está fora de nós. A pessoa em Romanos 7 estava tentando, esforçando-se e lutando para guardar a lei de Deus. Sua intenção, seu pensamento e seu desejo eram dirigidos para fora. Mas em Romanos 8, a direção desta pessoa muda. Ele nunca seria distraído por nada, nem sequer pela lei de Deus. Ele não se dirige a nada mais que ao Senhor em seu espírito. Em Romanos 8 temos que andar conforme o espírito (v. 4). Não temos de esforçar-nos ou lutar para fazer o bem ou guardar a lei por nós mesmos. Simplesmente nos exorta a que andemos conforme o espírito. Tudo o que faço e tudo o digo é negando minha mente, emoção e vontade e sentindo o espírito. Se tenho a vida e a paz, ou faço ou digo. Se não tenho vida e paz, não faço nem digo. Esta é a forma de exercitar o espírito, de usar o espírito.


UMA MUDANÇA DE ÓRGÃO

Muitos de nós simplesmente não exercitamos nem usamos nosso espírito. Em nossa vida diária não nos importa nosso espírito nem prestamos atenção. Ocupamos-nos de muitas coisas boas e tratamos de fazer estas coisas boas por nós mesmos. Devemos ter uma mudança, não das coisas, mas do órgão. A pergunta é: você usa o espírito?

Por exemplo, já que sou cristão, tenho que amar a meu irmão, assim troco o ódio em amor. Isto é uma mudança de coisas. E quanto à moralidade, esta mudança está correta. Falando espiritualmente, não está tão correto. Quando eu odiava este irmão, o odiava com meu eu. Quando amava este irmão também o amava em meu eu. Agora tenho que mudar por meio de exercitar meu espírito. Esta é uma mudança de órgão. Anteriormente, meu tratar com meu irmão era no eu. Agora tenho que mudar para tratar com este irmão para que seja no espírito. Ao mudar o órgão, aprendo como exercitar e usar meu espírito.

Se sou sério com o Senhor, devo aprender como exercitar meu espírito. Primeiramente devo rejeitar minha mente, meu arrazoamento, minha emoção e meu desejo. Simplesmente deixo de exercitar minha alma. Então começo a exercitar meu espírito. Enquanto praticamos isto dia após dia, este exercício se converterá em nosso hábito.

EXERCITANDO-SE ORANDO

Temos que começar a exercitar nosso espírito orando, porque o orar, em princípio, é algo no espírito (Ef 6:18). Para exercitar seus olhos, você tem que ver. Para exercitar seus pés, tem que caminhar. E quanto mais caminha mais exercita seus pés. De igual maneira, a melhor maneira de exercitar seu espírito é aprender a orar.

APRENDENDO O SENTIMENTO DO ESPÍRITO

E A NECESSIDADE DE PRATICAR

Talvez quando você começa a orar, ainda esteja na mente, na alma. Mas se prossegue orando, entrará no espírito. Ainda em nossa oração devemos negar a mente, a emoção e a vontade e aprender o sentimento do espírito. Ninguém não deve orar conforme o que sabe. Não deve orar conforme o que gosta ou ao que deseja ou ama. Não deve orar conforme o que decide orar. Você deve negar sua mente, emoção e vontade e atender ao sentimento interior muito dentro de você.

Talvez você decidiu orar pela igreja, mas quando vai ao Senhor e começa a oração, o sentimento interior é algo diferente. Tem que esquecer de sua decisão e atender ao sentimento interior. Pode ser que o sentimento interior indique que tem que dizer algo como isto; “Oh Senhor, ainda com relação a igreja, estou demasiado na carne”. Sua decisão é orar pela igreja, mas o Senhor dá sentimento de que está ainda na carne. E quanto mais confessa que está na carne, mais sente o ungir, a paz, a harmonia e o frescor. Por outro lado, se permanecer em sua decisão de orar pela igreja contra o sentimento interior, sentirá a sequidão e o vazio interiores.


Devemos pôr todos estes princípios em nossa prática diária. O que faço e digo tudo negando minha mente, minha emoção e minha vontade e sentindo a situação interior. Isto significa que estou usando e exercitando meu espírito. Estou vivendo, andando e agindo não por meu eu, mas por meu espírito com o Senhor. Em nosso espírito temos a vitória. Simplesmente volte-se ao exercício do espírito. Em nosso espírito temos o desfrute do Senhor. Pratique o usar e o exercitar seu espírito.